Paulo Bento só supera interino e tem pior início no Cruzeiro desde 2011

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro

    Com dois empates, treinador ainda não conseguiu ver seu time triunfar dentro de campo

    Com dois empates, treinador ainda não conseguiu ver seu time triunfar dentro de campo

O início da trajetória de Paulo Bento pelo Cruzeiro não é nada bom. Sem vencer nas três primeiras partidas à frente da equipe, ele tem o pior começo de trabalho dentre os treinadores efetivos do clube nesta década. Somente Emerson Ávila, interino entre as passagens de Joel Santana e Vagner Mancini, possui rendimento inferior.

Os números do português são idênticos aos de Mancini. O restante (Joel Santana, Celso Roth, Marcelo Oliveira, Vanderlei Luxemburgo, Mano Menezes e Deivid) iniciou o trabalho de forma melhor que o comandante.

Em seus primeiros compromissos, o sucessor de Deivid empatou com Figueirense (2 a 2) e América-MG (1 a 1), ambos na condição de mandante, e foi goleado pelo Santa Cruz (4 a 1), no estádio do Arruda, no Recife. Todos os jogos foram válidos pelo Campeonato Brasileiro. O péssimo aproveitamento deixou o time na 19ª colocação.

Joel Santana foi o primeiro a começar um trabalho nesta década no Cruzeiro. Ele foi substituto de Cuca – que trabalhou na agremiação entre 2010 e 2011. Nos três primeiros compromissos, o folclórico comandante obteve uma trinca de vitórias. Os seus atletas venceram Coritiba (3 a 0) e Grêmio (2 a 0) como mandantes. E aplicaram uma goleada sobre o Vasco (3 a 0) em pleno São Januário.

Emerson Ávila nunca foi efetivado como técnico do Cruzeiro. Entretanto, nesta década, após a demissão de Joel Santana, ele assumiu a equipe de forma interina e a comandou em seis confrontos. Atualmente nas categorias de base do clube, Ávila foi o treinador com pior rendimento na década. Em três duelos, ele empatou com o Palmeiras (1 a 1) e foi derrotado por Fluminense (2 a 1) e Santos (1 a 0).

Depois de seis compromissos sob a batuta do interino, o Cruzeiro encontrou um substituto: Vagner Mancini – que possui o mesmo aproveitamento de Paulo Bento em seus compromissos iniciais. Ele foi o último comandante da gestão de Zezé Perrella à frente do clube. Iniciou a sua trinca de jogos perdendo para o Grêmio (2 a 0). Na sequência, obteve igualdades com São Paulo (3 a 3) e Bahia (0 a 0). Ao término de sua passagem, salvou o clube do rebaixamento e permaneceu por cinco meses no primeiro ano da administração de Gilvan de Pinho Tavares.

Logo que demitiu Mancini, a diretoria procurou Celso Roth. O gaúcho assumiu o time com a incumbência de melhorar a defesa, muito vazada durante a passagem de Vagner Mancini pela Toca da Raposa II. E deu certo. Logo nas três primeiras rodadas do Brasileirão – as quais coincidiram com os seus jogos iniciais –, ele obteve dois empates sem gols, diante de Atlético-GO e Náutico, respectivamente. Na sequência, venceu o Botafogo (3 a 2) em pleno Rio de Janeiro.

Ao término de 2012, a cúpula não demorou a anunciar que o técnico da temporada seguinte seria Marcelo Oliveira. Após temporadas de sucesso no comando do Coritiba e uma passagem apagada pelo Vasco da Gama, ele recebeu uma ótima oportunidade no Cruzeiro. Quem assistiu aos primeiros jogos pode não ter se empolgado, já que foram duas vitórias, sobre Atlético-MG (2 a 1) e América/TO (2 a 0), e um empate contra o Guarani-MG (0 a 0). Contudo, durante o trabalho no clube, ele faturou duas edições do Campeonato Brasileiro (2013 e 2014).

Demitido após dois anos e meio à frente da equipe, Marcelo Oliveira foi substituído por Vanderlei Luxemburgo, o responsável pela conquista da Tríplice Coroa em 2003. O treinador, um dos mais vitoriosos do país, repetiu um feito que apenas Joel Santana conseguiu nesta década: vencer os três primeiros jogos no comando do time. Os seus comandados bateram Flamengo (1 a 0), Atlético-MG (3 a 1) – em pleno estádio Independência – e Vasco (3 a 1) – em São Januário.

Se o começo da passagem de Luxa foi animador, a reta final de seu trabalho foi um verdadeiro fiasco. Para substituí-lo, Gilvan de Pinho Tavares apostou na contratação de Mano Menezes. E o comandante iniciou a sua trajetória na Toca da Raposa II com um aproveitamento abaixo do antecessor. Ele venceu o Figueirense (5 a 1), perdeu para o Flamengo (2 a 0) e empatou com o arquirrival Atlético (1 a 1).

Ao término de 2015, Mano disse sim a uma proposta do Shandong Luneng, da China, e deixou a Toca da Raposa. A sua mudança fez com que a diretoria apostasse em Deivid, até então membro da comissão técnica fixa do clube. O ex-centroavante mudou a filosofia de trabalho do clube. E o seu início não foi tão animador. O Cruzeiro empatou com Criciúma (1 a 1) e URT (0 a 0). Na sequência, porém, obteve um triunfo sobre o Tombense (2 a 1).

Confira os números dos treinadores do Cruzeiro nesta década:

Joel Santana
25/6/2011 – Cruzeiro 3 x 0 Coritiba
29/6/2011 – Vasco 0 x 3 Cruzeiro
6/7/2011 – Cruzeiro 2 x 0 Grêmio
100% de aproveitamento
 
Emerson Ávila (interino)
4/9/2011 – Palmeiras 1 x 1 Cruzeiro
7/9/2011 – Cruzeiro 1 x 2 Fluminense
10/9/2011 – Santos 1 x 0 Cruzeiro
11,11% de aproveitamento
 
Vagner Mancini
2/10/2011 – Grêmio 2 x 0 Cruzeiro
5/10/2011 – Cruzeiro 3 x 3 São Paulo
12/10/2011 – Bahia 0 x 0 Cruzeiro
22,22% de aproveitamento
 
Celso Roth
20/5/2012 – Cruzeiro 0 x 0 Atlético-GO
26/5/2012 – Náutico 0 x 0 Cruzeiro
7/6/2012 – Botafogo 2 x 3 Cruzeiro
55,55% de aproveitamento
 
Marcelo Oliveira
3/2/2013 – Cruzeiro 2 x 1 Atlético-MG
6/2/2013 – Cruzeiro 2 x 0 América/TO
17/2/2013 – Guarani-MG 0 x 0 Cruzeiro
77,77% de aproveitamento
 
Vanderlei Luxemburgo
3/6/2015 – Cruzeiro 1 x 0 Flamengo
6/6/2015 – Atlético-MG 1 x 3 Cruzeiro
13/6/2015 – Vasco 1 x 3 Cruzeiro
100% de aproveitamento
 
Mano Menezes
6/9/2016 – Cruzeiro 5 x 1 Figueirense
10/9/2015 – Flamengo 2 x 0 Cruzeiro
13/9/2015 – Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG
44,44% de aproveitamento
 
Deivid
27/1/2016 – Criciúma 1 x 1 Cruzeiro
31/1/2016 – Cruzeiro 0 x 0 URT
3/2/2016 – Tombense 1 x 2 Cruzeiro
55,55% de aproveitamento
 
Paulo Bento
21/5/2016 – Cruzeiro 2 x 2 Figueirense
25/5/2016 – Santa Cruz 4 x 1 Cruzeiro
28/5/2016 – Cruzeiro 1 x 1 América-MG
22,22% de aproveitamento

BOTAFOGO x CRUZEIRO - FICHA TÉCNICA

Motivo: 5ª rodada, Brasileirão 2016
Data/Hora: 1º de junho, às 21h45 (de Brasília)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Vanderson Antonio Zanotti (ES) e Luciano Roggenbaum (PR)

BOTAFOGO: Helton Leite; Luis Ricardo, Emerson, Emerson Silva e Victor Luis; Bruno Silva, Fernandes, Marquinhos (Gegê), Leandrinho (Salgueiro); Neílton e Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.

CRUZEIRO: Fábio, Lucas, Léo, Bruno Viana e Bryan (Sánchez Miño); Henrique, Bruno Ramires (Lucas Romero) e Ariel Cabral; De Arrascaeta, Élber e Riascos (Willian). Técnico: Ricardo Peres (interino).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos