Inter tem seis rodadas para disparar. Luta é contra a "casca de banana"

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

A campanha do Internacional neste começo de Brasileirão é quase impecável, mas pode ser ainda melhor. Nas próximas seis partidas, o time dirigido por Argel Fucks enfrentará somente times do meio para baixo da tabela. O grande receio no Beira-Rio é justamente o efeito que essa série pode causar.

"A liderança agora é uma casca de banana, não podemos cair nela", disse Alex após a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, no Beira-Rio.

A analogia do camisa 12 é com as armadilhas que o primeiro lugar pode render. Dono de 87% de aproveitamento em cinco jogos, o Inter deixará de ser um mero participante. Ganhará notoriedade, será observado de forma diferente. E terá de corresponder.

Além da pressão e da postura diferente dos adversários, o próprio time vai ter que se manter com a cabeça no lugar. Os pés no chão.

"Ser líder agora tem coisas boas e ruins. Mais coisas boas, eu acho. Valoriza o trabalho, dá confiança. Ainda tem muita coisa para acontecer, mas dá moral. Tem um pequeno problema: sustentar isso. Aí vamos ter que estar mais alerta", disse o zagueiro e capitão Paulão. "Ser líder é ter teto de vidro e precisamos estar pronto para lidar com essa condição", completou Alex.

A sequência do Inter aponta: Vitória fora de casa, América-MG e Atlético-MG no Beira-Rio, Figueirense em Santa Catarina, Coritiba no Paraná e Botafogo em Porto Alegre.

O primeiro turno do Colorado se completa com Flamengo e Grêmio como mandante, Santa Cruz em Recife, Palmeiras em Porto Alegre, Ponte Preta em Campinas, Corinthians em casa e Cruzeiro em Belo Horizonte.

"A gente está construindo o nosso caminho. Mas é ir como o Argel fala, jogo a jogo. Com os pezinhos no chão", resumiu o lateral direito William.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos