Meia do 'que m..., hein' foi expulso de vestiário por técnico no Inter

Do UOL, em Porto Alegre

Poucos conheciam o meia Marinho até a partida entre Santa Cruz e Ceará, em junho de 2015. Depois de empatar o jogo nos minutos finais, o jogador foi dar entrevistas e, alertado sobre a suspensão para o jogo seguinte, foi sincero ao disparar um: "que m..., hein". O vídeo viralizou, ganhou ritmo de samba, remix de funk e tornou o meia, que hoje defende o Vitória, celebridade da internet. Pouca gente sabia que seis anos antes ele defendeu o Internacional e já passou por momentos curiosos, mas sem a mesma projeção. 

Adversário nesta tarde às 16h (horário de Brasília), o Inter deu a primeira chance a Marinho no profissional. Foi em 2009, quando o jogador chegou da base do Fluminense com status de futuro craque. Logo de cara foi colocado no elenco principal pelo técnico Tite e utilizado até entre os titulares em alguns treinamentos. 
 
Mas por ser jovem, com 18 anos, o armador sofreu com os mais velhos do elenco. Era o eleito para sofrer com as brincadeiras de Gustavo Nery, Rosinei e companhia. A perseguição teve momentos em que ele foi preso no quarto da concentração, teve material de treino escondido ou mesmo foi passado para trás em filas de refeitório. 
 
Sem conseguir se firmar no elenco principal, Marinho seguiu como alternativa no Internacional no primeiro ano e esperava melhor sorte no segundo. Mas não veio. Era reserva com Jorge Fossati, e com Celso Roth acabou tendo um momento curioso de relacionamento interno. 
 
Roth tinha como ordem organizar a frequência dos atletas no vestiário, que antes não era controlada. Impôs que jogadores da base não estavam autorizados a utilizar academia e estrutura do principal. E logo em sua primeira semana, entrou nas dependências do Beira-Rio e viu Marinho, em uma das esteiras recuperando-se de lesão. 
 
Aos gritos - como lhe é peculiar - Roth dizia: "Eu já disse que não quero jogadores da base aqui". Marinho, medindo 1,68 e com semblante juvenil, tentou argumentar que era do principal. Roth, sem dar oportunidade de palavra ao atleta, tirou-lhe aos berros do local. Ele concluiu o trabalho no campo e não demorou a ser emprestado ao Caxias. 
 
Depois foi Paraná, Goiás, Ituano, Náutico, até o Ceará em 2015. Que em seguida o vendeu ao Cruzeiro, que por sua vez o liberou por empréstimo ao Vitória para 2016. 
 
Depois de uma lesão, o armador volta a campo contra o Internacional. O Colorado tenta defender a liderança do Brasileiro e manter a marca de invencibilidade que completa 101 dias neste domingo. 
 
FICHA TÉCNICA
VITÓRIA X INTERNACIONAL
Data e hora: 05/06/2016 (Domingo), às 16h (Brasília)
Local: estádio Barradão, em Salvador (BA)
Transmissão na TV: PPV
Árbitro: Tiago Duarte Peixoto0 (SP) 
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Anderson José de Moraes Coelho (ambos paulistas)
VITÓRIA: Fernando Miguel; Norberto, Victor Ramos, Ramon e Euller; Amaral, Willian Farias e Leandro Domingues; Marinho, Vander e Kieza. 
Técnico: Vágner Mancini
INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Arthur; Fernando Bob, Anselmo, Andrigo, Gustavo Ferrareis e Eduardo Sasha; Vitinho. 
Técnico: Argel Fucks
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos