Cuca resgatou um desacreditado Luan e atacante voltará a ser mais usado

José Edgar de Matos

Do UOL Esporte, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Luan entrou contra o Flamengo e teve o desempenho elogiado pelo técnico Cuca

    Luan entrou contra o Flamengo e teve o desempenho elogiado pelo técnico Cuca

O técnico Cuca encerrou o domingo satisfeito em dois sentidos. Além da vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo, a primeira fora de casa da equipe no Campeonato Brasileiro de 2016, o treinador viu seu trabalho dar resultado. Até quem anteriormente se apresentava como um mero figurante, entrou e deu conta do recado.

Neste ponto, Luan surgiu como a principal surpresa. Sem atuar pelo clube paulista desde o segundo semestre de 2014, o atacante entrou no gramado do Mané Garrincha e correspondeu. Cuca se derreteu ao falar do atleta, importante taticamente para parar o ataque flamenguista pela direita.

"O Rodinei parou de atacar quando entrou o Luan. Não é fácil um jogador ficar um ano e quatro meses sem jogar. Senti que esse jogo era para ele. Quando um jogador diz que pode 'confiar em mim', você confia. Ele é um guerreiro", declarou o treinador palmeirense.

De quase descartado, Luan terminou a partida em Brasília confiante. As palavras de Cuca ratificam o novo momento do atacante, que possui contrato até 31 de dezembro de 2017 - a renovação fora firmada no final do ano passado.

Luan convenceu Cuca do seu valor em um espaço de apenas 15 dias. Foi durante a intertemporada da equipe em Atibaia que o atacante ganhou espaço; tanto que Luan voltou do interior relacionado para o primeiro jogo palmeirense na Série A do Brasileiro – goleada por 4 a 0 sobre o Atlético-PR.

Os quase 18 meses longe dos gramados resultaram em dor e sofrimento – principalmente pela longa recuperação da cirurgia no tendão de Aquiles. A família e o Palmeiras serviram como alicerce, e o desabafo surgiu na partida contra os paranaenses: choro e gratidão ao clube por 'acreditar'.

Fora a entrada de Luan, Cuca também tornou o Palmeiras mais ofensivo na segunda etapa. O versátil Tchê Tchê ocupou o posto de primeiro volante, enquanto Moisés, com a entrada de Cleiton Xavier, recuou. Reforçado ofensivamente, o time alviverde dominou em Brasília.

"O time soube ficar com a bola, explorar as diagonais. Voltamos com um ritmo um pouco moroso, com o Flamengo mais com a bola. Aí optamos pelo Luan e pelo Tchê Tchê de primeiro volante, com o Moisés mais recuado, e tomamos conta da partida", declarou.

Cuca gostou do que viu, tanto que não descarta escalar novamente Moisés e Cleiton Xavier juntos no gramado – o segundo retornou após duas partidas e deve recuperar o posto de titular para o dérbi do próximo domingo contra o Corinthians, no Allianz Parque.

"Jogaram juntos hoje. O jogo pode pensar assim. Às vezes quem decide o jogo é quem está no banco. Eles têm que estar preparados como quem começa o jogo", declarou o treinador.

O Palmeiras, que desembarcou no Rio de Janeiro por conta do mau tempo na capital paulista, terá o dia livre. A partir desta terça, a equipe inicia a preparação para o clássico do final de semana.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos