Clássico vira Dia D para referência do Cruzeiro que só marcou um gol no ano

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Fred Magno/Light Press/Cruzeiro

    Média de um gol a cada 3,5 jogos não é mais a mesma. Willian só marcou uma vez em 2016

    Média de um gol a cada 3,5 jogos não é mais a mesma. Willian só marcou uma vez em 2016

Referência do Cruzeiro no time de Mano Menezes, o atacante Willian ganhou a camisa 9 nesta temporada, mas ainda não conseguiu recuperar o faro de gol que teve no ano passado. No último domingo, foi dele a única chance clara diante de Denis, desperdiçada cara a cara com o arqueiro do São Paulo. Na etapa final, deixou o campo sob vaias da torcida, insatisfeita por causa do desempenho que até agora só rendeu um gol nos 14 compromissos do ano. Ciente da má fase, o jogador busca dar a volta por cima e, para isso, nada melhor que encarar um clássico e sair vencedor para virar a chave.

"Tenho uma história muito bonita aqui, e o carinho que o torcedor tem por mim, ele não vai se apagar dessa forma. Tem muito torcedor chateado com o meu momento, mas fico tranquilo, porque estou me dedicando, trabalhando, tenho certeza que é uma fase e vamos dar a volta por cima, sair dessa situação. Temos que unir. Todos sabem da nossa força no Mineirão quando o torcedor está junto, a gente fica muito mais forte. Tenho certeza que, a partir desse clássico, as coisas vão mudar", comentou.

Em 2015, Willian foi o vice-artilheiro da equipe sob os comandos de Marcelo Oliveira, Vanderlei Luxemburgo e Mano Menezes. Com 13 gols em 46 partidas oficiais, o atacante alcançou uma média de um gol a cada 3,5 jogos. Este ano, como já informado, o desempenho piorou drasticamente e o jogador só marcou por uma vez em 14 compromissos.

A queda de rendimento de Willian passa também pelo início muito ruim do Cruzeiro no Brasileirão. Nas seis primeiras rodadas, o time terminou quatro na zona do rebaixamento e sofre com a instabilidade defensiva e ofensiva. Na partida contra o São Paulo, o torcedor mineiro lidou com a falta de capacidade do time em criar jogadas e finalizar ao gol. Se não vencer o Atlético no Horto, uma combinação de resultados poderá levar a equipe até a lanterna da competição, mas o histórico recente de confrontos mostra que a Raposa pode sim superar o Galo dentro do Independência, assim como aconteceu na primeira fase do Mineiro, que terminou com a vitória celeste por 1 a 0.

"É um clássico, iguala tudo. Muita vontade, dedicação, respeito ao rival, mas dentro de campo vamos ter que nos entregar, todo mundo muito mobilizado. Temos totais condições de vencer e ter um rumo diferente na competição, fortalecer o grupo. Isso vai dar mais moral ainda. É um clássico, precisamos de atenção para não sermos surpreendidos. Vamos atrás de um resultado positivo para sair da zona de rebaixamento".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos