Cleiton Xavier sai do banco e Palmeiras bate Corinthians no Allianz

Dassler Marques e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

23 anos depois, o Palmeiras voltou a levar a melhor sobre o Corinthians com certa autoridade. Neste domingo, no Allianz Parque, um gol de Cleiton Xavier assegurou o triunfo por 1 a 0 no dérbi do Dia dos Namorados e retirou os corintianos da liderança do Campeonato Brasileiro.

Mais competitivo, mais veloz e com 100% de torcedores palmeirenses, o estádio teve um recorde de público e jogou junto na vitória sobre o rival Corinthians. Foi quase o dobro de finalizações para a equipe de Cuca, superior em quase todos os quesitos diante do time de Tite.

Com a vitória, o Palmeiras sobe para a vice-liderança do Brasileirão com 15 pontos. Já o Corinthians, que era líder, cai para o quarto lugar, com 13 pontos após sete rodadas.

O Palmeiras volta a campo na próxima quarta-feira, quando visita o Coritiba no Couto Pereira, às 21h45 (de Brasília). Um dia depois, o Corinthians encara o Fluminense no estádio Mané Garrincha, em Brasília, às 20h.

Jogo termina com polêmica: gol anulado do Corinthians

 

O Corinthians ficou bem perto de empatar o clássico deste domingo no último lance do jogo. Após dividida tripla pelo alto entre Thiago Martins, Felipe e Fernando Prass, a bola sobrou para Bruno Henrique, que em nova dividida – com Cleiton Xavier – conseguiu mandar a bola para as redes. O gol, porém, foi anulado pelo árbitro, o que gerou bastante revolta do time corintiano.

Palmeiras cresce com Cleiton e controla jogo

Eduardo Knapp/Folhapress

Cleiton Xavier mostrou mais uma vez o quanto pode ser decisivo para o Palmeiras se estiver bem. Com menos de dois minutos, ele abriu o placar no Allianz Parque com um belo gol de cabeça. Ele não balançava as redes desde 19 de agosto de 2015, em jogo contra o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. Foi, inclusive, sua última partida na temporada passada. Além do gol, controlou o meio-campo e fez o Palmeiras jogar.

Dupla de zaga corintiana se desdobra contra Dudu e Jesus

Adriano Vizoni/Folhapress

Felipe, que provavelmente fazia sua despedida antes de ir ao Porto, e Yago, que retornava após um mês afastado por doping, fizeram um bom clássico. Com laterais corintianos pressionados em vários momentos, os zagueiros corintianos se desdobraram em campo e evitaram um placar pior. Yago chegou a tirar uma bola quase em cima da linha. Felipe ganhou vários duelos individuais e até tentou a sorte como centroavante nos acréscimos.

Primeiro tempo tímido. Segunda parte infernal

Dudu passou em branco na tarde deste domingo, mas deixou a sua marca com uma boa atuação na etapa complementar do dérbi. Aberto pela esquerda, o camisa 7 deu muito trabalho para o corintiano Fagner e exigiu grande defesa de Walter aos 8min, após driblar Felipe e chutar de canhota.

Corinthians é menos competitivo na casa do rival

Adriano Vizoni/Folhapress

A exemplo do último dérbi, no Pacaembu, o Palmeiras conseguiu se impor no que diz respeito à parte competitiva. O setor de marcação palmeirense funcionou melhor e limitou os espaços principalmente para Guilherme. Inferior na casa do adversário e sem torcida, o Corinthians se lançou à frente após sair em desvantagem e se viu obrigado a deixar muitos espaços para os contra-ataques.

Violência fica longe no clássico de torcida única

Sem registros importantes de violência, o primeiro dérbi de torcida única teve comportamento de decisão por parte dos palmeirenses nas arquibancadas. Os torcedores fizeram festa antes, durante e depois do jogo, mas também secaram muito o Corinthians. Nos últimos 20 minutos, o time visitante foi muito vaiado sempre que chegou ao ataque no Allianz Parque.

O dedo do técnico Cuca

Julia Chequer/Folhapress

Sem contar com Egídio de última hora, Cuca optou pela experiência de Zé Roberto para parar Giovanni Augusto, uma das principais armas ofensivas do Corinthians. A grande ação de Cuca, no entanto, veio com o intervalo da partida. O treinador tirou um atacante pelas pontas (Róger Guedes) e colocou um meia centralizado (Cleiton Xavier). Em dois minutos, Cleiton respondeu com o gol.

Variação tática e troca de posições

Adriano Vizoni/Folhapress

A padronização palmeirense apresentada por Cuca neste Brasileiro se manteve no clássico deste domingo. Não demorou três minutos para Jean inverter com Tchê Tchê e ir para a lateral. O esperado domínio, no entanto, veio somente na etapa final, quando Cleiton Xavier entrou para assumir a função da armação de ataque; Moisés recuou, e o time melhorou quando precisava.

Tite fez mistério, mas não apresentou nada novo

Julia Chequer/Folhapress

Adepto de mudanças na parte tática para os clássicos, Tite optou por manter o Corinthians com a estrutura que marca a caminhada da equipe no Campeonato Brasileiro. Com Giovanni e Marquinhos abertos e com alternâncias no posicionamento e Guilherme pelo centro, a parte ofensiva funcionou bem menos do que de costume. Novamente, Cuca se saiu melhor.

Recorde de público do Allianz Parque

A torcida do Palmeiras fez a sua parte neste domingo e não só compareceu em ótimo número como quebrou o recorde de público do estádio: 39.935 pessoas. A maior presença da torcida até então havia sido na final da Copa do Brasil do ano passado, contra o Santos: 39.660. Vale lembrar que o recorde histórico do Palestra Itália (ou Parque Antárctica) é de 40.283 torcedores, na vitória de 1 a 0 sobre o XV de Piracicaba, em 1976. Faltou pouco...

Torcida corintiana presente no Allianz?

 

O clássico contou com torcida única (palmeirense), mas mesmo assim a torcida do Corinthians de um jeito de 'comparecer' ao Allianz Parque. Um drone com a inscrição da organizada Camisa 12 sobrevoou o estádio no início do dérbi. Já nos primeiros minutos, o drone passou por cima do gol Sul do estádio palmeirense, mas não se aproximou do gramado. Em seguida, o objeto caiu em uma rua próxima ao estádio. Palmeirenses, depois, conseguiram pegar o equipamento.Leia mais

Juca Kfouri: "jogo brigado, tecnicamente pobre"

Para Juca Kfouri, blogueiro do UOL Esporte, o dérbi entre Palmeiras e Corinthians foi "brigado, sem espaço para a criatividade e, por isso, tecnicamente pobre". Ele ainda destacou que o Corinthians segue sem vencer um 'jogo grande' no campeonato.

Casais palmeirenses almoçam com ídolos

Casais palmeirenses tiveram a chance de almoçar no gramado do Allianz Parque na companhia de ídolos alviverdes, como Evair, César Sampaio, Tonhão, Velloso e Amaral. Ao entrar no camarote para assistir o jogo, os ex-jogadores foram ovacionados pelos torcedores.

PALMEIRAS 1 X 0 CORINTHIANS

Local : Allianz Parque, em São Paulo (SP) 
Data: 12/06/2016 (domingo)
Árbitro : Raphael Claus (Fifa-SP) 
Auxiliares : Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Rogerio Pablos Zanardo (SP) 
Cartões amarelos : Jean, Zé Roberto, Edu Dracena, Moisés (Palmeiras), Giovanni Augusto, Cristian, Felipe, Fagner (Corinthians) 
Público e renda : 39.935 / R$ 2.763.659,36 
Gol: Cleiton Xavier, aos 2min do segundo tempo

PALMEIRAS
Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Edu Dracena e Zé Roberto; Jean, Thiago Santos e Moisés (Matheus Sales); Róger Guedes (Cleiton Xavier), Dudu (Rafael Marques) e Gabriel Jesus
Técnico : Cuca 

CORINTHIANS
Walter; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Cristian (Maycon) e Bruno Henrique; Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Guilherme (Danilo); Luciano (André)
Técnico : Tite

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos