Com golaço de Borges, América-MG bate Coritiba, mas segue na zona da degola

Do UOL, em Belo Horizonte

 O América-MG tratou o jogo do Coritiba como um confronto direto. Vencer a equipe paranaense visto como obrigação, já que ambos lutam contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. E a postura do segundo tempo valeu a virada do América-MG, que contou com uma falha do goleiro Wilson e com o oportunismo de Borges, que fez um belo gol por cobertura, para chegar à virada. No fim, o placar por 2 a 1 fez por merecer quem mais procurou o jogo.

Apesar do triunfo, o América segue dentro da zona do rebaixamento. Mas já são duas vitórias nesta edição. Apesar de não ser uma grande atuação, o triunfo leva ânimo aos jogadores para o difícil duelo com o Palmeiras, na terça-feira, em São Paulo. Já o Coritiba, voltou a mostrar as falhas recorrentes e sabe que não vai ter vida fácil contra o Internacional, na quarta-feira.

Adalberto funciona como oportunista e armador

Bastante criticado pela torcida do América-MG após a derrota para o Botafogo, na última quarta-feira, o zagueiro Adalberto se redimiu diante do Coritiba. Firme na defesa e sempre bem postado, o defensor ainda foi importante no ataque. Na verdade, Adalberto foi decisivo para a segunda vitória do América no Brasileirão. O camisa 4 aproveitou falha do goleiro Wilson para empatar a partida e deu um belo lançamento para o gol da vitória, anotado por Borges.

Wilson falha em momento favorável ao Coritiba

Os poucos torcedores do América presentes no Independência já começavam a mostrar irritação. Naquele momento o time da casa estava em desvantagem mais uma vez. Mas cinco minutos após sofrer o gol, o América contou com uma falha do goleiro Coritiba para empatar a partida. Wilson não pegou firme a bola após uma falta de longa distância cobrada por Danilo e Adalberto marcou no rebote. Em uma partida de poucas oportunidades, a falha do goleiro foi decisiva para reação do América.

Borges vai de apagado a decisivo no jogo

Borges ainda não tinha marcado nenhum gol neste Campeonato Brasileiro. Goleador com história de muitos gols nas edições anteriores, o centroavante sofreu bastante no primeiro tempo. A bola praticamente não chegou, tornando o camisa 9 em um jogador nulo em campo. Na única chance ele chegou a fazer o gol, mas estava impedido. Já no segundo tempo, Borges participou mais da partida. Perdeu a chance de abrir o placar, mas fez o gol da virada aos 12 minutos, encobrindo o goleiro Wilson, e logo em seguida quase marcou mais um. Com o gol diante do Coritiba, Borges chegou a marca de 99 na história do Brasileirão.

América domina, mas peca no último passe

Uma característica que já é possível notar no América comandado por Sérgio Vieira é a posse de bola. O time mineiro gosta de ter o controle do jogo. E isso funcionou bem contra o Coritiba. Apesar de sair atrás no marcador, o América sempre teve mais a bola nos pés e esteve muito mais próximo da área adversária. Faltou maior capricho no último passe, fazer com que a bola chegasse em boas condições para Borges e Osman finalizarem.

Defesa segue devendo e ataque pouco cria no Coritiba

Entre os 20 clubes que estão na disputa do Campeonato Brasileiro, nenhum sofreu tantos gols como o Cortiba. São 17 em nove partidas, quase dois por jogo. Uma média que complica qualquer objetivo traçado e mantém o time paranaense sempre próximo à zona de rebaixamento. Dependendo dos resultados deste domingo, o Coritiba pode terminar a rodada entre os últimos colocados. Mas a defesa não é a única preocupação para Pachequinho, já que diante do América seu time pouco criou.

Número de chances traduz primeiro tempo ruim

Somente aos 32 minutos o goleiro João Ricardo fez a primeira defesa do jogo, após uma cabeça de Juan. Com a partida já caminhando para os minutos finais da primeira etapa que saiu a primeira finalização certa do jogo. Até então, em quatro tentativas, três do América e uma do Coritiba, nenhuma bola tinha ido em direção do gol

Nem caldo de feijão de graça motivou a torcida

Os primeiros torcedores do América-MG que chegassem ao Independência com a camisa do clube ganhariam um caldo de feijão de graça. Um incentivo e tanto para acompanhar no estádio o confronto com o Coritiba, na gelada noite de Belo Horizonte. Quando a bola começou a rolar, a temperatura na capital mineira estava por volta de 18 graus. Mas nem isso foi capaz de atrair o torcedor. Foram somente 796 pagantes, o pior público do Brasileirão em 2016, superando a marca de Botafogo x América. Ao final do jogo, a temperatura em BH já estava em 14 graus e um caldo de feijão bem quente seria muito bom.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 2 X 1 CORITIBA

Data: 18/06/2016 (sábado)
Horário: 21h (de Brasília)
Motivo: 9ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 796 pagantes
Renda: R$ 12.290,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Dilbert Pedrosa e Luiz Claudio Regazone (RJ)
Cartões amarelos: - (AFC) João Paulo, Carlinhos e Juninho (CTB)
Gols: Kléber aos 4 min, Adalberto aos 9 min e Borges aos 12 min do segundo tempo

AMÉRICA-MG
João Ricardo; Hélder, Artur, Adalberto e Danilo; Leandro Guerreiro, Ernandes, Juninho, Eduardo (Alan Mineiro, aos 24 do 2º) e Osman (Bruno Sávio, aos 36 do 2º); Borges (Victor Rangel, aos 30 do 2º).
Treinador: Sérgio Vieira.

CORITIBA
Wilson; Dodô, Rafael Marques, Juninho e Carlinhos; Edinho, João Paulo (Leandro, aos 17 do 2º), Ruy (Ortega, aos 33 do 2º) e Juan; Felipe Amorim (Vinícius, aos 20 do 2º) e Kleber
Treinador: Pachequinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos