Pressionado, Bento recusou ofertas e deixou amigos e família pelo Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Paulo Bento, técnico do Cruzeiro

    Paulo Bento, técnico do Cruzeiro

Trocar a Europa pelo Brasil, aparentemente, é um caminho que atrai somente os profissionais que estão próximos de encerrar a carreira no futebol. Paulo Bento, agora pressionado por bons resultados, optou por seguir esta trajetória. Mesmo que tenha se distanciado dos familiares e de seus melhores amigos, a escolha não ocorreu estritamente por uma questão financeira, já que recebeu ofertas superiores à do Cruzeiro.

Nesta quarta-feira (22), às 19h30 (de Brasília), diante da Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, o time do treinador lusitano necessita de um triunfo para deixar a lanterna do Campeonato Brasileiro. Desde a chegada do comandante, foram duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. Com oito pontos, o time precisa apenas de um resultado positivo para deixar a degola. Os tropeços fazem com que ele já seja exigido por um melhor aproveitamento.

A sua comissão técnica chegou ao Brasil com um salário dentro dos padrões da Toca da Raposa II. Os vencimentos são de R$ 400 mil (cerca de 105 mil euros) mensais. Antes de se mudar para Belo Horizonte, o seu estafe – chefiado pelo empresário Carlos Gonçalves – foi procurado por duas seleções europeias e clubes de Espanha, Grécia e Turquia. Mas o treinador manteve a preferência pelos mineiros.

O que contribuiu para a opção do técnico foi a ida da dupla responsável por comandar o Cruzeiro a Portugal. O vice-presidente Bruno Vicintin e o diretor de futebol Thiago Scuro estiveram em Lisboa, onde se reuniram com o treinador e seu representante para acertar a negociação. O projeto apresentado pelos dirigentes foi preponderante para o lusitano assinar o contrato que tem duração até dezembro de 2017.

Desde que deixou de trabalhar com Jorge Mendes (com quem esteve por dez anos consecutivos) e passou a ser agenciado por Carlos Gonçalves, esta foi a primeira conversa com um clube brasileiro. O curioso é que a escolha fez com que o técnico se distanciasse de amigos e parentes em Portugal.

Aos 47 anos, completos nessa segunda-feira (20), Paulo Bento é bastante reservado e tem um círculo de amigos bem reduzido, segundo uma fonte ligada ao técnico. As amizades são as mesmas desde os tempos de adolescência, o que ratifica o comportamento do treinador. Na viagem ao Brasil, além dos quatro membros da comissão, somente uma pessoa que convivia com o comandante o acompanhou: a esposa Teresa.

O perfil reservado também é corroborado por um pedido feito após a sua chegada ao Cruzeiro. O treinador solicitou à assessoria de imprensa que não concedesse entrevista exclusiva aos veículos de comunicação brasileiros durante a sua estada.

A chegada a Belo Horizonte acarretou no afastamento inevitável do comandante de pessoas mais próximas. Nem as filhas estão no Brasil. A primogênita Sofia, de 22 anos, reside nos Estados Unidos, onde cursa faculdade, e não pretende deixar o país antes de concluir o seu curso superior. A caçula Marta, três anos mais jovem que a irmã, mora na Inglaterra. A jovem se mantém na Europa e também já está na universidade.

Ficha técnica
Ponte Preta x Cruzeiro

Local
: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 22 de junho de 2016 (quarta-feira)
Horário: às 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA)
Assistentes: Márcio Gleidson Correia Dias (PA) e Helcio Araújo Neves (PA)

Ponte Preta
João Carlos; Diogo Matheus, Fábio Ferreira, Kadu e Reinaldo; João Vitor, Renê Júnior e Cristian; Felipe Azevedo, Clayson e Roger.
Técnico: Eduardo Baptista.

Cruzeiro
Fábio; Mayke, Léo, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique, Lucas Romero e Bruno Ramires; Giorgian De Arrascaeta, Alisson e Duvier Riascos.
Técnico: Paulo Bento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos