Como Guilherme foi de 16 lesões no Atlético-MG a nenhuma no Corinthians

Dassler Marques e Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo e em Belo Horizonte

  • Friedemann Vogel/Getty Images

    Guilherme reencontra o Atlético-MG nesta quarta, em Belo Horizonte

    Guilherme reencontra o Atlético-MG nesta quarta, em Belo Horizonte

Novos tempos. É assim que Guilherme trata o passado de 16 lesões que deixou para trás no Atlético-MG. Nesta quarta-feira (22), pelo Corinthians, ele reencontra o ex-clube pela primeira vez com um invejável índice de mais de um ano sem se contundir. A partida está marcada para as 21h45 (de Brasília) no Mineirão. 

A marca que orgulha Guilherme é motivo de satisfação também dentro do Corinthians. Em uma temporada marcada por um número acima do normal de jogadores contundidos - neste momento são sete -, o camisa 10 está imune até aqui. Em 2016, o mesmo departamento que já se preocupou com Ronaldo, Alexandre Pato e Renato Augusto tinha ele como uma das prioridades. 

A comissão técnica corintiana tem um trabalho específico de prevenção de lesões realizado pelo analista biomecânico Luciano Rosa. O objetivo é identificar possíveis desequilíbrios que gerem problemas físicos e quantificar as cargas físicas permitidas para cada semana de treinamentos. Mas, já na Turquia, onde jogou todo o segundo semestre de 2015, Guilherme conseguiu escapar de problemas musculares. A última contusão dele foi em janeiro do ano passado.  

Quando perguntado sobre o tema, o meia-atacante corintiano costuma sorrir. "Não sei nem o que significa essa palavra (lesão). Estou muito feliz, graças a Deus. Faço diariamente os trabalhos que têm de ser feitos, sou muito profissional em todos os aspectos", ressaltou recentemente. 

A partida desta quarta-feira, em especial o Mineirão, tem ingrediente especial. Foi justamente em um Atlético-MG 4 x 1 Corinthians, pela Copa do Brasil 2014, que Guilherme viveu um dos melhores jogos de sua carreira, com dois gols marcados e exibição irretocável. O namoro entre a direção corintiana e ele se arrastou por muitos meses a partir dali e se concretizou em uma transferência em janeiro desse ano. 

De volta à posição de origem no Brasileirão, o que foi revisto por Tite e será mantido por Cristóvão Borges, Guilherme faz um início de torneio razoável. Como meia-atacante, ele é o terceiro jogador que mais dá passes para finalizações, segundo o Footstats. Já marcou um gol e deu duas assistências. 

Já pelo Atlético, Guilherme foi contratado em março de 2011 como o substituto de Diego Tardelli, negociado para o Anzhi-RUS, fez 147 partidas e marcou 27 gols. Guilherme venceu Copa Libertadores, Copa do Brasil, Recopa Sul-Americana e três edições do Campeonato Mineiro pelo Galo, que pagou R$ 14 milhões por ele.

As lesões de Guilherme no Atlético-MG

Coxa direita
Junho de 2011: Estiramento muscular na coxa direita
Julho de 2011: Estiramento muscular na coxa direita
Setembro de 2011: Contratura muscular na coxa direita
Outubro de 2011: Estiramento muscular na coxa direita
Novembro de 2013: Estiramento muscular na coxa direita
Agosto de 2014: Estiramento muscular na coxa direita
Outubro de 2014: Estiramento muscular na coxa direita
Janeiro de 2015: Estiramento muscular na parte anterior da coxa direita

Panturrilha esquerda
Abril de 2012: Estiramento muscular na panturrilha esquerda
Maio de 2012: Estiramento muscular na panturrilha esquerda
Janeiro 2013: Edema muscular na panturrilha esquerda

Coxa esquerda
Maio de 2013: Estiramento muscular na coxa esquerda
Julho de 2013: Estiramento muscular na coxa esquerda
Setembro de 2013: Estiramento muscular na coxa esquerda
Abril de 2015: Adutor da coxa esquerda

Tornozelo esquerdo
Maio de 2014: Torção no tornozelo esquerdo

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos