Sem mágoas do Palmeiras, Robinho descarta problemas com treinadores

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Robinho garante que não tem mágoa do Palmeiras

    Robinho garante que não tem mágoa do Palmeiras

Dez dias. Este foi o período que se passou entre a renovação de Robinho com o Palmeiras e o anúncio do empréstimo ao Cruzeiro. Liberado, mesmo depois de assinar vínculo até dezembro de 2019, o meio-campista garante que não ficou chateado com a diretoria alviverde nem com Cuca. Ele ainda descarta problemas com o técnico Marcelo Oliveira.

Na Toca da Raposa II desde o final de abril, o apoiador garante que não guarda mágoas de cúpula ou comissão técnica por ser envolvido na negociação que acarretou na ida do lateral esquerdo Fabrício para a Academia de Futebol.

"Isso (negociação) faz parte do futebol. Quem está dentro do futebol entende que as mudanças, às vezes, são essenciais. É bom para dar uma evoluída, mudar um pouco. Eu vejo com bons olhos a minha vinda para o Cruzeiro, um grande clube. Eu escolhi vir para o Cruzeiro. O Cruzeiro pediu minha contratação, mas não vim obrigado. Eu escolhi. Já tive duas chances de vir e acabei não vindo. Então, de maneira alguma, eu fico chateado (por ter deixado o Palmeiras). Eu fico é muito lisonjeado por poder vestir essa camisa hoje", afirmou ao UOL Esporte.

O meio-campista ainda garante que não teve nenhum problema com Marcelo Oliveira, atualmente no Atlético-MG, enquanto trabalharam no Palmeiras.

"Não tivemos (problemas com o Marcelo Oliveira), de maneira alguma. Fomos campeões (da Copa do Brasil). Não tinha nem como ter algum problema com ele. Um cara que chega a quatro finais (de Copa do Brasil), não tem nem como você questionar o trabalho do cara. O Marcelo tinha o maior respeito do grupo, sempre acreditamos muito no que ele passou. O Marcelo foi um dos melhores treinadores com quem trabalhei e acho que o grupo do Palmeiras também, tanto que fomos campeões. Não tenho nada para questionar a respeito do trabalho do Marcelo", comentou.

Por fim, o jogador fez elogios à diretoria e à torcida do Palmeiras e deixou clara a sua intenção de retornar à Academia de Futebol depois da passagem pela Toca da Raposa II, que se encerra em dezembro de 2017.

"O Palmeiras foi importante porque foi meu primeiro título nacional. Foi a minha volta para um time grande. Depois do Santos, joguei no Avaí e no Coritiba, que são grandes também, mas a gente procura ainda maiores no cenário nacional. Sem dúvida nenhuma, tenho muito carinho pelo Palmeiras. Depois que sair do Cruzeiro, ainda terei dois anos de contrato, a diretoria e a torcida me acolheram muito bem. Eu consegui meu primeiro título lá. Tenho que agradecer à diretoria, que me abriu as portas para jogar em um clube grande", concluiu.

Ficha técnica
Cruzeiro x Palmeiras

Motivo: 11ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 25 de agosto de 2016 (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS/Fifa)
Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA/Fifa) e Bruno Raphael Pires (GO/Fifa)

Cruzeiro
Fábio; Mayke, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Bryan; Henrique, Lucas Romero e Bruno Ramires; Giorgian De Arrascaeta, Alisson e Duvier Riascos.
Técnico: Paulo Bento.

Palmeiras
Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Moisés e Tchê Tchê; Róger Guedes, Cleiton Xavier e Dudu; Gabriel Jesus.
Técnico: Cuca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos