Cruzeiro começa bem, mas leva virada da Chape em estreia de Caio Júnior

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

Em uma movimentada partida disputada na Arena Condá, a Chapecoense venceu o Cruzeiro, por 3 a 2, na noite desta quarta-feira (29). Válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, o jogo marcou a estreia de Caio Júnior pelo time catarinense. Mas esta não foi o único fato da partida, que contou com polêmica em um dos gols e bons lances pelo lado das duas equipes.

O estreante foi fundamental para o resultado. Dois jogadores colocados por ele na etapa complementar - o apoiador Arthur Maia e o centroavante Kempes - garantiram a virada no confronto disputado no interior de Santa Catarina. Com o resultado, a equipe do sul do país chega à oitava colocação, com 18 pontos. Os mineiros, por sua vez, permanecem na 13ª posição, com 14.

De Arrascaeta assume condição de maestro

O uruguaio passou a regular com a camisa do Cruzeiro. Nesta quarta-feira, ele fez novamente uma partida consistente. O problema é que brigou sozinho no setor ofensivo do time mineiro. Com boas jogadas pelo lado esquerdo, onde recebeu a companhia de Bryan, o dono da camisa 10 criou as melhores oportunidades do visitante. O lance do gol de Matías Pisano, logo aos seis minutos da etapa inicial, saiu de seus pés.

Gino não mantém futebol de Henrique e Cruzeiro sofre

O meio-campista da Cruzeiro substituiu o lesionado Henrique ainda no primeiro tempo, mas não manteve o padrão técnico e tático do titular. Após a sua entrada, a Chapecoense passou a ter mais espaço na intermediária adversária e criou melhores chances, chegando inclusive ao gol defendido por Fábio em algumas oportunidades.

Matías Pisano recupera vaga e faz gol, mas não agrada

Devido à contratura muscular de Alisson, o meia-atacante argentino recuperou o espaço entre os titulares de Paulo Bento, o que não acontecia desde a segunda rodada do Brasileirão. No começo da partida, ele deu indícios de que poderia permanecer com a posição. Logo aos seis minutos, o atleta estufou a rede de Marcelo Boeck. Mas não foi o suficiente para agradar ao técnico. Não é à toa que o português substituiu o jogador por Élber, recém-recuperado de um edema na coxa esquerda, aos 13 minutos da etapa complementar.

Timidez da Chapecoense dá lugar à voracidade

A Chapecoense nem parecia jogar em casa nos minutos iniciais. Sucumbida pela força ofensiva do Cruzeiro, a mandante encontrou dificuldades para trabalhar a bola. Após o gol do rival e a lesão de Henrique, o time da casa passou a dominar o confronto e a criar boas chances, como no vídeo acima. Contudo, insistiu em bolas aéreas. Cléber Santana, apagado, não produziu o que se esperava. O empate veio no fim do primeiro tempo, com Silvinho. Mas foi só na segunda etapa que o time comandado por Caio Júnior conseguiu virar o jogo. Arthur Maia deixou a sua marca poucos minutos após entrar na vaga de Gil. Nos minutos finais, a equipe sofreu o empate, mas garantiu o resultado com Kempes, substituto de Ananias.

Cruzeiro começa bem, mas reduz o ritmo

O Cruzeiro começou de forma impressionante o compromisso. Logo aos seis minutos, já abriu o placar com um gol de Matías Pisano. O inicio fulminante animou a torcida, mas não os jogadores, como era de se esperar. Depois do tento, a equipe diminuiu o ritmo. A lesão de Henrique, que acarretou na entrada de Federico Gino, atrapalhou ainda mais. O volante uruguaio não deu a mesma consistência na marcação e tampouco na transição entre defesa e ataque. A partir daí, a queda de ritmo foi inevitável. O time só voltou a atacar quando sofreu a virada. E contou com Fabrício Bruno para empatar nos minutos finais, mas não segurou a igualdade.

Caio Júnior brilha em estreia pela Chapecoense

A primeira partida após a saída de Guto Ferreira da Chapecoense foi um desastre. A goleada sofrida para o Sport assustou aos torcedores. Entretanto, na estreia de Caio Júnior, a equipe retomou o caminho das vitórias. E o treinador foi decisivo no duelo. Ele foi o responsável por colocar o jovem Arthur Maia na vaga de Gil. A mudança surtiu efeito e o meia-atacante foi quem marcou o gol da virada. O treinador colocou também o atacante Kempes, responsável pelo terceiro gol do mandante no duelo, na vaga de Ananias na etapa final.

Paulo Bento mexe bem na equipe

O treinador escalou a melhor equipe que poderia. Sem dois importantes meio-campistas (Robinho e Alisson), lesionados, o comandante optou por colocar Matías Pisano no meio de campo. E o argentino fez o primeiro gol do confronto. Mas a mudança mais significativa ocorreu no decorrer do jogo. Perdendo por 2 a 1 e sem possibilidade de fazer alterações, o português solicitou que o zagueiro Fabrício Bruno se posicionasse no ataque. Ele o fez e marcou o segundo gol do time. Nem a boa visão de jogo do técnico foi suficiente para segurar a igualdade no marcador.

2º gol do Cruzeiro gera reclamação

Uma polêmica tomou conta do jogo. Após estar perdendo por 2 a 1, o Cruzeiro balançou a rede com Fabrício Bruno. O zagueiro aproveitou a sobra em uma finalização de Lucas Romero e estufou a rede adversária. Os atletas da Chapecoense, contudo, queixaram-se bastante do lance. Eles acreditam que o volante argentino dominou a bola com a mão esquerda antes de finalizar. O árbitro Rodolpho Toski Marques (PR) estava ao lado do meio-campista e não assinalou falta do hermano. A situação gerou muita reclamação e irritação do time catarinense.

Ficha técnica
Chapecoense x Cruzeiro

Motivo: 12ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 29 de junho de 2016 (quarta-feira)
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Luiz H Souza Santos Renesto (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Cartão amarelo: Gil, Ananias, Gimenez, Rafael Lima (Chapecoense); Mayke, Bryan, Willian, Matías Pisano, Lucas, Bruno Viana (Cruzeiro)

Gols: Matías Pisano – 6'/1ºT (0-1); Silvinho – 42'/1ºT (1-1); Arthur Maia – 24'/2ºT (2-1); Fabrício Bruno – 39'/2ºT (2-2); Kempes – 44'/2ºT (3-2)

Chapecoense
Marcelo Boeck; Gimenez, Marcelo (Rafael Lima), Thiego e Sérgio Manoel; Josimar, Gil (Arthur Maia) e Cleber Santana; Ananias (Kempes), Silvinho e Bruno Rangel.
Técnico: Caio Júnior.

Cruzeiro
Fábio; Mayke (Lucas), Bruno Viana, Fabrício Bruno e Bryan; Lucas Romero, Henrique (Federico Gino), Bruno Ramires (Élber) e Giorgian De Arrascaeta; Matías Pisano (Élber) e Willian.
Técnico: Paulo Bento.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos