Kardec desencanta após Dia do Fico de Maicon, e São Paulo vence Fluminense

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

O São Paulo voltou a vencer depois de três partidas. Nesta quarta-feira (29), no Morumbi, a equipe de Edgardo Bauza contou com o fim do jejum de Alan Kardec para vencer o Fluminense por 2 a 1, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em contrapartida, a lesão de Paulo Henrique Ganso deixou a torcida preocupada com a sequência para a Libertadores.

João Schmidt abriu o placar para os donos da casa e Cícero descontou para os cariocas. A partida foi a primeira de Maicon depois da confirmação de sua permanência no São Paulo. Com moral, o zagueiro recebeu a braçadeira de capitão da equipe.

Com a vitória, o São Paulo chega aos 18 pontos, na sétima colocação. Já o Fluminense estaciona nos 14 pontos, em 11º.

Na próxima rodada, o São Paulo visita a Ponte Preta, no domingo (3), às 16h, horário de Brasília. Um dia antes, no mesmo horário, o Fluminense recebe o Coritiba.

O drama de Ganso

O São Paulo entrou na partida com um time misto por causa da semifinal da Libertadores, que acontecerá na próxima semana. Durante o duelo, no entanto, o técnico Edgardo Bauza precisou colocar Paulo Henrique Ganso no lugar de Michel Bastos. E aí começou o drama.

Aos 42 minutos do segundo tempo, o meia sentiu a coxa e logo pediu substituição. O São Paulo, porém, já havia feito três alterações e Ganso precisou continuar em campo. Ao fim do duelo, o camisa 10 limitou-se a dizer "estou fora". Mais tarde, o médico da equipe, José Sanchez, afirmou que a expectativa é de um estiramento na coxa, fazendo com que o meia seja dúvida para a Libertadores.

"Claro, preocupa. Ele teve uma dor na posterior da coxa. A gente tem que pensar no estiramento, mas às vezes você pode ter uma surpresa agradável, não ser nada tão grave", disse.

Três meses depois... lá vem Kardec

A temporada de Alan Kardec tem sido muito mais complicada do que o atacante desejaria. Passando maior parte do tempo no banco de reservas e sofrendo com a má fase quando está em campo, o camisa 14 demorou três meses para voltar a balançar as redes. Mas o momento chegou.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, Kardec recebeu cruzamento de Michel Bastos e marcou o segundo. A última vez que o atacante havia balançado as redes foi contra o Santos, no Campeonato Paulista, em março. "Foi um gol importante, fico feliz. Um momento de felicidade, o momento de uma virada", afirmou ao "Premiere". Após o tento, a torcida passou a cantar "toca no Kardec que é gol", a mesma música usada para Calleri.

João Schmidt: pé que dá, mão que tira

 

O dia de João Schmidt foi uma montanha-russa. Logo no primeiro minuto de partida, Cueva cobrou escanteio, Centurion desviou na primeira trave e o volante aproveitou para mandar para o fundo do gol de Diego Cavalieri.

 

No segundo tempo, no entanto, Schmidtcolocou fogo em umjogo que se desenhava tranquilo para o São Paulo. O volante pulou em um cruzamento com os dois braços muito abertos e acabou tocando na bola após cabeçada de Henrique. Na cobrança do pênalti, Cícero diminuiu para o time carioca.

A moral do novo capitão

Rubens Cavallari/Folhapress

Um dia depois do "fico", Maicon foi titular contra o Fluminense e, de quebra, ganhou de Edgardo Bauza a braçadeira de capitão. Preferido da torcida, o zagueiro ouviu gritos de incentivo a cada vez que tocava na bola. A moral é tanta, que Maicon ainda pediu para os torcedores aplaudirem Kardec depois do segundo gol. E foi atendido. A empolgação, no entanto, acabou saindo um pouco do controle na parte final do segundo tempo. Em dois lances, o zagueiro deu entradas duras e acabou recebendo o cartão amarelo.

Depois de uma longa novela, o São Paulo anunciou na última terça-feira (28) a contratação em definitivo de Maicon. Para isso, o time do Morumbi gastará 6 milhões de euros – sendo 5 milhões parcelados em três anos -, além de repassar metade dos direitos econômicos que possui de Lucão e Inácio.

A estreia de Cueva

 

Em sua estreia pelo São Paulo, Cueva foi um dos mais participativos na partida. Escalado na função que costuma ser de Paulo Henrique Ganso, no centro da linha de três jogadores no meio-campo, o peruano mostrou um bom aproveitamento, permitindo que Michel Bastos e Centurion conseguissem aproveitar mais os espaços.

Mas nem tudo foi positivo na estreia. Logo aos 12 minutos de partida, o peruano deu uma entrada dura em Wellington Silva e recebeu cartão amarelo. Um minuto mais tarde, recebeu passe de Kardec e chutou de maneira muito estranha, como pode ser visto no vídeo acima.

Opinião: Juca Kfouri

"Traumatizado nos últimos tempos ao jogar no Morumbi (10.231 pagantes), o São Paulo venceu sem que o timinho do Fluminense preocupasse, embora Osvaldo tenha sido vítima de um pênalti cometido por Maicon, não marcado pelo assoprador de apito".

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 x 1 FLUMINENSE

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 29/06/2016
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Jose Eduardo Calza e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (ambos do RS)
Público: 10.323 pagantes
Renda: R$ 204.246,00
Cartões amarelos: Cueva, Carlinhos, Paulo Henrique Ganso e Maicon (São Paulo); Cícero, Giovanni e Douglas (Fluminense)

GOLS: João Schmidt (1'/1ºT) e Alan Kardec (39'/1ºT), para o São Paulo; Cícero (7'/2ºT), para o Fluminense

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Carlinhos (Matheus Reis); João Schmidt, Thiago Mendes, Centurión (Ytalo), Cueva e Michel Bastos (Paulo Henrique Ganso); Alan Kardec. Técnico: Edgardo Bauza

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Henrique e Giovanni; Douglas, Edson (Dudu), Cícero e Gustavo Scarpa; Maranhão (Osvaldo) e Magno Alves (Richarlison). Técnico: Levir Culpi

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos