Palmeiras ignora pressão do Corinthians e abre vantagem na liderança

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

Pressão? Apenas para os adversários no Allianz Parque. Um dia depois de ver o arquirrival Corinthians encostar na ponta da tabela, o Palmeiras tratou de dar uma resposta. Exibição sólida, confiante e de um candidato ao título do Campeonato Brasileiro: vitória por 4 a 0 sobre o Figueirense, diante de mais de 30 mil pessoas na noite desta quinta-feira.

Diante da chance de perder 'gordura' na liderança, o Palmeiras atuou solto e termina a 12ª rodada da Série A ainda mais confortável na ponta. Ao invés de dois (22 a 20), agora são três pontos de vantagem sobre o segundo colocado (25 dos alviverdes contra 22 dos rivais corintianos). 
 
O Figueirense, que perdeu uma invencibilidade de três partidas com a derrota desta quinta-feira no Allianz Parque, segue com apenas 14 pontos depois de 12 rodadas e ocupa a 15ª colocação.
 
Devidamente recuperado da derrota e fraca atuação do último final de semana, o ainda mais líder Palmeiras retornará a campo na segunda-feira, às 20h (de Brasília), quando encarará o Sport, na Ilha do Retiro. O Figueirense recebe domingo, às 19h, contra o Atlético-MG, no Orlando Scarpelli.
 

Melhor: Moisés e Róger Guedes se destacam mais uma vez

O camisa 28 do Palmeiras foi mais uma vez o destaque do time de Cuca. Atuando como segundo volante, Moisés fez de tudo no meio-campo: marcou, desarmou, armou e até finalizou ao arriscar chutes de fora da área. De quebra, o meio-campista abriu o placar para a equipe alviverde, em conclusão de cabeça, após cruzamento de Róger Guedes, que também se destacou nas jogadas de ataque.
 

Pior: Cleiton Xavier, sumido, não consegue criar

 
O Palmeiras dessa vez não pôde contar com a criatividade do camisa 10. Sumido entre os volantes do Figueirense, Cleiton não conseguiu dar ritmo ao meio-campo do Palmeiras em lances por dentro. Restou ao time, então, buscar as jogadas pelos lados do campo, com Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus, que atuou de falso 9.
 

Palmeiras mata o jogo em 45 minutos

 
Virou rotina no Allianz Parque. Contra o Figueirense, o Palmeiras também precisou de apenas um tempo para alcançar o resultado positivo. A pressão nos primeiros minutos, o meio-campo dinâmico e o ataque veloz geraram um domínio quase que absoluto sobre o Figueirense. Na segunda etapa, Jesus tratou de eliminar qualquer chance de reação dos catarinenses.
 

'Glória, glória, aleluia'

Eduardo Anizelli/Folhapress,
 
Gabriel Jesus não ganhou música especial pela convocação, mas tratou de recompensar o apoio do torcedor com mais uma exibição convincente. O camisa 33 anotou o terceiro e o quarto gols palmeirense na noite e virou artilheiro da competição ao chegar a nove no Brasileirão – um a mais do que Grafite, do Santa Cruz. São 18 na temporada, número que já o faz superar Dudu no ano passado; o meia-atacante foi o goleador palmeirense com 16 em 2015.
 

'Ão, ão, ão! Prass é seleção'

 
Convocado pela primeira vez para a defender a seleção brasileira aos 37 anos, Fernando Prass recebeu uma bela homenagem do torcedor. Durante a apresentação dos atletas por parte dos torcedores, o goleiro ganhou um grito especial, alusivo à convocação. O agradecimento veio em forma de uma atuação segura, auxiliada pela pouca eficiência do ataque do Figueirense.
 

Em casa? Mando eu!

Eduardo Anizelli/Folhapress
 
Ninguém consegue ameaçar o Palmeiras no Allianz Parque. O triunfo desta quinta-feira aumentou ainda mais a perfeição do atual líder do Campeonato Brasileiro como mandante. São agora sete vitórias em sete partidas disputadas diante do torcedor – seis delas na arena e uma no Pacaembu (4 a 3 sobre o Grêmio).
 

Jogada aérea é mortal

 
O Palmeiras voltou a marcar um gol de cabeça no Campeonato Brasileiro. Com o tento de Moisés, o time palmeirense chegou à marca de sete gols em jogadas aéreas na competição. O número representa quase 30% do total feito pela equipe - são 24 gols em 12 jogos.
 

Palmeiras ligeirinho

Eduardo Anizelli/Folhapress
 
Líder do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras se notabilizou pela pressão exercida nos primeiros minutos sobre os adversários, especialmente no Allianz Parque. Mais uma vez, esta postura deu certo. Moisés anotou o sétimo gol da equipe antes dos 20 minutos na competição; quatro deles como mandante. O Figueirense foi a terceira vítima seguida – diante de Cruzeiro e América-MG, o time alviverde também balançou as redes neste período. Gabriel Jesus é dono de quatro desses gols (Róger Guedes, dois, e Moisés completam a lista).
 

Pouca posse de bola e aposta nas bolas paradas

 
O Figueirense tornou-se mais uma vítima do estilo avassalador do Palmeiras nos primeiros minutos dos jogos, principalmente nos disputados no Allianz Parque. O time de Cuca conseguiu, por exemplo, concluir cinco vez corretamente no primeiro tempo, contra apenas uma dos catarinenses.


Mina vai ao estádio com os jogadores

 
O zagueiro colombiano será apresentado nesta sexta-feira pelo Palmeiras, mas já sentiu o carinho da torcida palmeirense ao saudar os espectadores no Allianz Parque pouco antes de a bola rolar. Mina também chegou ao estádio com os outros atletas do elenco e até participou da preleção de Cuca.
 

Cuca consolida cada vez mais uma base

 
Mesmo sem os laterais titulares (Jean e Egídio), o Palmeiras não sentiu. A base da equipe está formada e encorpa a cada rodada. O meio-campo com Moisés, Tchê Tchê e Cleiton Xavier mais uma vez sobrou, assim como o veloz ataque formado por Dudu e Róger Guedes pelas pontas e Jesus no meio. Base bancada pelo treinador, que se exibe mais eficiente rodada após rodada.
 
Opinião: Juca Kfouri e Perrone
 
 
FICHA TÉCNICA
 
PALMEIRAS 4 x 0 FIGUEIRENSE
 
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Público: 32.834
Renda: R$ 1.935.544,72
Data: 30 de junho de 2016 (quinta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Cartões amarelos: Rafael Moura (Figueirense); Róger Guedes (Palmeiras)
 
Gols: Moisés, aos sete, Dudu, aos 42 do primeiro tempo, e Gabriel Jesus, aos dez, e aos 46 minutos do segundo tempo.
 
PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Moisés (Matheus Sales) e Tchê Tchê; Róger Guedes, Cleiton Xavier (Barrios) e Dudu (Vitinho); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca
 
FIGUEIRENSE: Gatito Fernández; Ayrton, Marquinhos, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Jackson Caucaia, Ferrugem (Jocinei) e Bady; Dudu (Everton Santos), Gustavo Ermel (Yago) e Rafael Moura. Técnico: Vinícius Eutrópio

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos