Levir revive dor de cabeça com setor defensivo e volta a pedir reforços

Do UOL, no Rio de Janeiro

O setor defensivo, definitivamente, tem sido o que mais tem dado trabalho para o técnico Levir Culpi nos últimos anos. Assim como já havia acontecido em 2015 no Atlético-MG, o treinador novamente tem quebrado a cabeça para dar equilíbrio ao local, desta vez no Fluminense.

Nos últimos quatro jogos, o Tricolor sofreu nove gols, alguns contando com uma verdadeira pane dos defensores. Ano passado, no Galo, ele chegou a acumular 10 gols em sete partidas.

Na derrota para o São Paulo, na última quarta-feira, o Fluminense levou gol com apenas 1 minuto de jogo, algo que foi classificado por Levir como um "descuido".

"Nos dois últimos jogos foi assim. Mas foi bola parada, ela passou muito baixa e não foi jogada ensaiada. Ninguém conseguiu neutralizar e pegou o cara do segundo pau. Foi um descuido inicial. A bola aérea é a mais difícil do jogo. Poderíamos ter empatado ou até vencer. Tivemos outras situações também. Não temos um timaço, mas joga de igual para igual com qualquer adversário", minimizou.

Ciente de maratona de jogos do Campeonato Brasileiro, Levir Culpi ainda espera por mais reforços da diretoria.

"Temos elenco, sim. São poucas contusões. É algo interessante. Mas também temos a certeza de que precisamos de dois ou três reforços. A diretoria está se movimentando. São poucas opções pela janela e pelo preço do jogador, e pelas posições que queremos. É uma dificuldade adicional, mas precisamos de um elenco maior. Não vamos esquecer que é um dos campeonatos mais difíceis da historia do Fluminense, porque não vamos jogar em casa. Tem a questão da logística e viagens", declarou.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos