Grêmio usa arma do Inter, vence clássico e põe pressão no Palmeiras

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

O Grêmio usou do veneno do Internacional para vencer o Gre-Nal 410. Neste domingo (3), em pleno Beira-Rio, o Tricolor venceu por 1 a 0 com Douglas sendo goleador. O gol do meia saiu em contra-ataque, como costuma jogar o Colorado. A vitória encurta a distância em relação ao líder Palmeiras, que entra em campo na segunda-feira (4), contra o Sport, em Recife.

A vitória na 13ª rodada do Brasileirão leva o Grêmio aos 24 pontos. O Palmeiras, que completa a rodada no novo horário criado pela CBF, tem 25. O Inter segue estacionado nos 20. O time de Argel Fucks, aliás, chegou ao quinto jogo seguido sem vitória.

Na próxima rodada, o Inter encara o Santa Cruz, em Recife. Já o Grêmio pega o Figueirense, em casa. Os dois jogos serão no domingo (10), com o Colorado atuando às 16h e o Tricolor às 11h (Brasília).

Quem decidiu: Everton anula William e força erro

O camisa 11 ganhou a disputa com Bolaños e começou o jogo. Foi importante para segurar uma das armas do Inter no ano, o lateral direito William. Com dribles e velocidade, foi peça-chave para o Tricolor ganhar profundidade. Na jogada do gol, foi responsável por chutar e forçar erro de Muriel, que deu rebote para Douglas marcar.

Quem foi mal: Eduardo Sasha some e não faz valer artilharia

Dono do maior número de gols marcados pelo Inter na temporada, Sasha não foi bem no clássico. O camisa nove manteve movimentação intensa na frente, arriscou chutes de longa distância e nada. Na etapa final, assim como boa parte do time, pecou pela ansiedade e cometeu erros técnicos.

Muriel dá rebote e reforça dúvida sobre o gol do Inter

Sem Danilo Fernandes por mais três semanas, o Internacional tem mais um motivo para dúvida no gol. Muriel deu rebote em chute de Everton e Douglas marcou o gol da partida. Sem ser exigido no restante do jogo, o camisa 30 pode ser sacado para a volta de Jacsson. O jovem foi titular contra o Botafogo, sob argumento de rodízio entre os suplentes.

Inter começa devagar e vai para o abafa depois

De um começo à espera do Grêmio e lento até um jogo com marcação pressão e muita pressa. O Inter mudou muito dentro do próprio jogo. Iniciou tentando quebrar a lógica, com transição lenta, e penou. Não conseguiu explorar os lados, como em outras partidas, e fechou o primeiro tempo sem o controle e com apenas duas boas chances de gol.

No segundo tempo o Colorado foi completamente diferente. Empurrou o jogo para o trecho final e em menos de 20 minutos, teve o dobro de chances para marcar. A marcação pressão arrefeceu na parte final do duelo, com acréscimo de ansiedade e sua consequência: muitos passes errados, mas ainda assim a proposição do jogo. Insistência em finalizações de fora da área.

Grêmio desmonta Inter no início e resiste no final

Com amplitude e dobras, o Grêmio dominou até o intervalo. Engoliu a proposta do Inter no meio-campo, mas não teve contundência suficiente para marcar mais de um gol. O gol foi uma ironia. O time vocacionado a criar começou a jogada fazendo aquilo que o adversário tem de melhor: desmontar. Em contra-ataque rápido, Luan serviu Everton e ele chutou. No rebote, Douglas marcou. A despeito da arma rival, os visitantes tiveram outras três oportunidades para converter.

Depois do intervalo, o Tricolor flertou com o perigo recuando as linhas e sendo encaixotado pelo Inter até os 20 minutos. Mesmo com pequenas derrotas, como em divididas, um contra um, resistiu. A pressão e talvez o cansaço retiraram as forças para jogar no contra-ataque - até as substituições. Com elas e o desespero do Inter, amenizou o abafa.

Argel troca de proposta com 30 minutos

A série de quatro jogos sem vitória fez Argel Fucks mudar o Inter mais uma vez. Fabinho voltou ao time depois de cumprir suspensão contra o Flamengo. A proposta ruiu com menos de 30 minutos, quando Fernando Bob foi sacado para entrada de Gustavo Ferrareis. No segundo tempo, com 25 minutos, o treinador apostou tudo que tinha. Colocou Valdívia e depois Anderson para empurrar o time à frente. O all in, termo usado no poker, deu volume. E só.

Roger mantém Everton e marca mais atrás

Com a bola, o Grêmio fez exatamente aquilo que lhe confere identidade. Circulação, amplitude, linhas próximas. Sem a bola, Roger Machado empregou um princípio específico: marcação baixa. Sem pressionar o rival, o treinador não deu espaço para o Inter jogar bola longa e ganhar terreno. Manteve Everton na equipe e deixou Bolaños como opção para o segundo tempo. Com o camisa 11, também forçou William - peça importante no modelo de Argel, sobrecarregado.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 X 1 GRÊMIO

Data: 03/07/2016 (Domingo)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho  e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo
Cartões amarelos:  Fernando Bob (INT), Arthur (INT), Vitinho (INT), Anderson (INT); Luan (GRE), Rafael Thyere (GRE), MAarcelo Grohe (GRE); 
Gols: Douglas, do Grêmio, aos 20 minutos do primeiro tempo; 
 
INTERNACIONAL: Muriel; William, Paulão, Ernando e Arthur; Fabinho, Fernando Bob (Gustavo Ferrareis) Rodrigo Dourado e Seijas (Valdívia); Eduardo Sasha (Anderson) e Vitinho
Técnico: Argel Fucks
 
GRÊMIO: Marcelo Grohe; Edílson, Rafael Thyere, Fred e Marcelo Oliveira; Walace, Jaílson (Ramiro), Giuliano, Douglas (Miller Bolaños) e Everton (Pedro Rocha); Luan
Técnico: Roger Machado

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos