Saída de medalhões fragiliza Flu e muda status de time no Brasileiro

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

O elenco montado pela diretoria do Fluminense, no início do ano, sugeria uma equipe 'cascuda' e com qualificação suficiente para brigar pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro. Com as saídas de Diego Souza e Fred, o Tricolor se viu fragilizado diante da competição mais exigente e comprida da temporada. Em poucas rodadas, pôde-se constatar a mudança de status.

Se a previsão era lutar por uma vaga no G-4, a realidade tem sido bastante diferente. Após acumular alguma gordurinha no início da competição, o Fluminense vem caindo na tabela e pode terminar a rodada na 16ª posição, brigando diretamente contra o rebaixamento. A premissa não é bem aceita pelo técnico Levir Culpi, que discorda sobre a mudança de status do Tricolor.

"Discordo [de quem acha que não tem]. Se vai muito em cima do resultado. Enquanto tínhamos os resultados, não se comentava nada. Alguém está esperando uma oportunidade dessa para também aproveitar esse momento político do clube. Qual time foi melhor do que nós nos últimos jogos? Um ou outro que teve uma superioridade, mas quase ninguém dominou. Então, acredito no grupo que temos", disse o treinador.

"Temos que analisar o seguinte: você quer gastar R$ 1 milhão em um jogador? Para mim vai ser ótimo. Mas agora vai lá administrar o Fluminense. As pessoas querem ganhar, e concordo com eles. O time hoje não tem a expressão individual de anos atrás, mas também não está falido. Falido por pouco. É preciso fazer essa conta também. Temos bons jogadores, um time equilibrado, mas precisamos do apoio, ainda mais agora que não jogamos em casa. Se não nos unirmos agora, vai ficar bem mais difícil", completou Levir Culpi.

Os problemas do Fluminense se passam diretamente pela falta de jogadores experientes, além da questão técnica. Um atacante e um apoiador são esperados. O camisa 9, inclusive, já chegou. Henrique Dourado já realizou exames e deve ser anunciado pelo Tricolor nos próximos dias. O treinador está confiante com o reforço, mas pede calma.

"Que ele pode chegar e jogar, não tenho a menor dúvida. Agora, é aquela história... estava em Portugal há dois meses sem jogar. Não posso pegar ele, colocar e dizer: "Coloca a bola para dentro". Ele vai ter que se adaptar um pouquinho. Vamos ver como está a parte física. Qualidade técnica para resolver a situação ele tem. Estamos tentando aumentar o elenco porque realmente precisamos inchar mais para não termos surpresas. Temos pouquíssimos problemas de lesão, talvez sejamos o time que tem menos, o que já é uma grande coisa", finalizou Levir.

Com o resultado, o Fluminense chega aos 17 pontos, mas segue em situação incomoda no Brasileiro. O time ocupa a 12ª posição, mas pode cair até cinco posições dependendo dos demais resultados. O Tricolor volta a campo nesta quarta-feira, às 19h30, quando medirá forças com o Ypiranga-RS, pela Copa do Brasil.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos