Técnico do Fla vê covardia em expulsão. Árbitro relata ofensas de diretor

Do UOL, no Rio de Janeiro

Além da goleada por 4 a 0 imposta pelo Corinthians, o jogo do Flamengo neste domingo ficou marcado por mais uma polêmica envolvendo o árbitro Heber Roberto Lopes. O juiz, que já tinha sido alvo de críticas por sua atuação no último domingo (26), por sua atuação na final da Copa América, agora gerou discussão no Campeonato Brasileiro.

Tudo começou por conta de uma falta não marcada do corintiano Fagner no rubro-negro Ederson no primeiro tempo. Heber não marcou e ainda expulsou o técnico Zé Ricardo, que questionou a decisão do juiz.

"Peço desculpas a ele se ele achou que agressivo. Só falei que o Fagner não acertou a bola. Cada um com sua consciência. O Fagner tentou atingir a bola, mas foi um carrinho forte.

Pegou e acertou o Ederson. Não falei nada agressivo, levantei o braço, o que talvez tenha chamado a atenção dele. Mas acho que minha expulsão foi um ato covarde, não sei se ele faria o mesmo com outro treinador", comentou o comandante do Flamengo.

E o tumulto não parou ali. Segundo relatos de Heber na súmula, novos problemas no corredor que dá acesso aos vestiários durante o intervalo.

"No intervalo, o Sr. Rodrigo Caetano, diretor de futebol da equipe do Flamengo, encontrava-se posicionado no final da rampa de acesso aos vestiários e proferiu-me as seguintes palavras: "Babaca, você é um m*", contou o juiz.

Após os problemas com o juiz e a derrota deste domingo, o Flamengo volta a campo no próximo fim de semana, quando encara o Atlético-MG, em Brasília, pela sequência do Campeonato Brasileiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos