Para manter beque, Corinthians paga R$ 500 mil a clube investigado na Fifa

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • CÉLIO MESSIAS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Corinthians sacramentou nesta quinta-feira a permanência do zagueiro Vílson. O SEV Hortolândia, clube em que jamais atuou, mas estava registrado, receberá cerca de R$ 500 mil pela transferência em definitivo. A equipe é utilizada pelos empresários Fernando Garcia e Marcus Sanchez para inscrição de atletas.

Contratado por empréstimo no início da temporada, Vílson estava cedido pelo SEV e agora será registrado no Corinthians. O vínculo expirava em dezembro, mas deve ser estendido por mais duas temporadas. A operação já consta no Boletim Interno Diário (BID) da CBF. 

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, as operações do SEV Hortolândia estão sendo investigadas pela Fifa. A equipe modesta vizinha a Campinas realizou transferências de atletas na ordem de R$ 10 milhões na temporada passada e repassou cerca de 80% disso a empresários como 'outras despesas'.

Nos últimos dois anos, a Fifa veta a participação de empresas e agentes em direitos econômicos de jogadores. A investigação é por conta do possível uso do SEV Hortolândia para ter lucros em transferências como a de Vílson. 

Apesar de adquirir Vílson em definitivo e da afirmação do jovem Pedro Henrique nas últimas semanas, o Corinthians ainda considera a aquisição de mais um defensor. Além deles, Cristóvão Borges conta com Balbuena e Yago no elenco profissional. O jovem Léo Santos também foi promovido recentemente. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos