Com boa atuação de Diego Cavalieri, Flu segura empate sem gols no Barradão

Do UOL, em São Paulo

Vitória e Fluminense fizeram uma partida movimentada na noite deste domingo, em Salvador, mas não saíram de um empate sem gols. A equipe baiana dominou o jogo e criou muitas chances, mas parou nas defesas do goleiro Diego Cavalieri. 

Com o resultado, Vitória e Fluminense chegam a 18 pontos e seguem no meio da tabela no Campeonato Brasileiro. O empate não alivia a pressão nas Laranjeiras. Na última quarta-feira, o técnico Levir Culpi disse que poderia pedir demissão após empatar com o Ypiranga-RS, pela Copa do Brasil.
 
Na 15ª rodada do Brasileiro, o Fluminense enfrenta o Cruzeiro em Edson Passos. O jogo está marcado para as 16h do próximo domingo. Na mesma data, o Vitória vai a Curitiba para desafiar o Atlético-PR.
 

Quem foi bem: Diego Cavalieri fecha o gol no Barradão

O goleiro tricolor roubou a cena na noite deste domingo. Ele fez quatro excelentes defesas ao longo do primeiro tempo e impediu que o Fluminense fosse para o intervalo em desvantagem no placar. Sua melhor intervenção aconteceu em um lance em que Marinho aplicou um chapéu em Maranhão e chutou com firmeza de muito longe. Nos 45 minutos finais, ele continuou mostrando segurança quando exigido. 

Inspirado, Marinho dá trabalho à defesa tricolor

A velocidade de Marinho foi uma das armas do Vitória no Barradão. Aberto pelo lado direito, ele infernizou a defesa do Fluminense com dribles, arrancadas e chutes de fora da área. O atacante vinha de ótima partida diante do Cruzeiro, na última semana, e começa a desvincular seu nome da gafe cometida em uma entrevista nos tempos em que defendia o Ceará.

Pressão total do Vitória no início do jogo

O Vitória entrou em campo disposto a pressionar o Fluminense. Além de contar Dagoberto, Marinho e Kieza no ataque, Vagner Mancini apostou na velocidade do meia Nickson para surpreender Levir Culpi.

Aos 6 minutos, Kieza desviou de cabeça e a bola foi parar nos pés de Nickson, que chutou de fora da área e só não abriu o placar porque Diego Cavalieri fez excelente defesa. Logo em seguida, o goleiro precisou trabalhar novamente e espalmou mais um chute forte – desta vez de Marinho.

Marinho voltou a criar problemas para o Fluminense aos 31. Ele aplicou um chapéu em Maranhão, pegou bem na bola e, mesmo de muito longe, colocou no ângulo. Em noite inspirada, Cavalieri operou um milagre.

Problema na saída de bola trava o Flu no 1º tempo

Sem poder contar com Gustavo Scarpa, que sofreu um estiramento no joelho direito, o Fluminense passou boa parte do primeiro tempo acuado em seu campo de defesa. Apagados, Dudu e Cícero não conseguiam fazer a transição para o ataque. Com problemas na saída de bola, o time tricolor recorria a chutões para frente.

O desempenho dos cariocas melhorou no fim da primeira etapa.  Os tricolores resolveram explorar a insegurança do goleiro Caíque, de apenas 18 anos, e reagiram com um chute perigoso de Dudu aos 44.

O Vitória finalizou o primeiro tempo com quatro chances reais de gols – contra apenas uma dos visitantes.

Vitória aposta na bola parada no 2º tempo

O jogo aéreo foi muito explorado pelo time do Vitória no segundo tempo. Com a partida mais equilibrada, a bola parada foi a principal arma rubro-negra. Kanu, zagueiro de 1,88m, foi uma ameaça constante à defesa tricolor em suas idas à área adversária. 

O time da casa, no entanto, ofereceu algumas brechas pelo lado direito de sua defesa. O Fluminense percebeu o espaço e, em um contragolpe, quase surpreendeu o Vitória. Maranhão invadiu a área e teve boas condições para abrir o placar, mas chutou em cima de Caíque. 

Vagner Mancini atinge marca histórica no Vitória

Em sua terceira passagem pelo Barradão, Vagner Mancini chegou aos 135 jogos à frente do clube rubro-negro e, ao lado de Aymoré Moreira, é o treinador que mais comandou o Vitória. Contratado em junho de 2015, ele reconduziu a equipe à elite do futebol nacional e conquistou o Campeonato Baiano desta temporada.

FICHA TÉCNICA

VITÓRIA 0  X 0 FLUMINENSE

Data e hora: 10/07/2016, domingo, às 19h30 (horário de Brasília)

Local: Barradão, em Salvador (BA)

Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)

Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli e Alberto Poletto Masseira (SP)

Cartões amarelos: Euller, Kanu, Marinho (Vitória); William Matheus, Wellington Silva, Cícero, Maranhão (Fluminense)

VITÓRIA: Caíque; Diego Renan, Kanu, Victor Ramos, Euller; Amaral (Marcelo), Willian Farias, Nickson (Vander); Dagoberto (David), Kieza e Marinho. Técnico: Vagner Mancini

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Renato Chaves, Henrique e William Matheus; Douglas, Dudu (Marcos Junior), Cícero; Maranhão, Osvaldo (Richarlison) e Magno Alves (Samuel). Técnico: Levir Culpi

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos