Cássio vê queda física em perda de posição e nega atritos com Pato e Tite

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

O goleiro corintiano Cássio falou nesta quarta-feira após um longo período sem conceder entrevistas coletivas. O momento é propício: titular nos últimos seis jogos, voltou a jogar bem e não foi vazado nas três partidas recentes.

Na entrevista, Cássio falou sobre a volta por cima e sobre a relação com três personagens importantes. Comentou sobre Tite, com quem disse ter tido conversa franca, sobre Alexandre Pato, com quem afirmou ter boa relação, mas pediu dedicação, e sobre o preparador de goleiros Mauri Lima.

"O que aconteceu ficou no passado. Dei uma entrevista infeliz", admitiu sobre críticas a Mauri quando saiu do time. "Mauri é meu treinador, é profissional e não mudou nada. Continuamos trabalhando. Sou funcionário do clube, a gente trabalha e não tem nada com ele", disse Cássio.

"Tive uma conversa particular com o Tite. Eu oscilei fisicamente e perdi a posição. Tive uma conversa franca. Tem um carinho com ele, um respeito. Eu vinha mal, agora já passou e me recuperei fisicamente", comentou o goleiro.

"Não sei se ele vai se lembrar ou não de mim na seleção. Se eu conseguir a regularidade de agora, eu me credencio, mas não posso achar que estou na frente dos outros porque ele já falou que eu era o melhor goleiro", complementou Cássio sobre uma possível convocação.

Já sobre Pato, ele negou ter tido alguma rusga. "Não tive problema com o Pato. Na época, falei sobre publicações dele, sendo do Corinthians e jogando no São Paulo. Sempre foi bem recebido, bem tratado, é um jogador de qualidade e a gente sempre conta. Ele está se dedicando, está trabalhando em dois períodos. É um cara qualificado", disse, com receita para o colega.

"Com boas atuações (vai reconquistar a torcida). É correndo, lutando, todos já o respeitam, já está se ambientando ao time. Depende muito dele, do trabalho e dedicação. Ele vem mostrando que quer estar junto da equipe. Tem trabalhado em dois períodos. Todos estão comprometidos e ele vai nos ajudar", previu.

Por fim, o goleiro admitiu ter se afastado de notícias e mídias sociais durante o período de fora. "De torcedor escutei apoio. Manifestações muito positivas. Me afastei porque era o momento do Walter, ele que devia dar entrevistas. O torcedor de verdade apoia nas horas boas e ruins", comentou Cássio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos