Não podemos cobrar da comissão técnica ainda, diz presidente do Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Começo irregular não fez Marcelo Oliveira perder prestígio dentro do Atlético-MG

    Começo irregular não fez Marcelo Oliveira perder prestígio dentro do Atlético-MG

Quase dois meses de trabalho, 13 rodadas do Campeonato Brasileiro e somente quatro triunfos. Aproveitamento inferior a 50%, com um dos elencos mais valiosos do futebol brasileiro, um time repleto de grandes jogadores, como Victor, Marcos Rocha, Erazo, Rafael Carioca, Cazares, Robinho e Fred. Desempenho para deixar qualquer treinador pressionando, mas não o técnico Marcelo Oliveira.

Apesar do começo irregular, que passou por uma sequência de sete partidas sem vitórias e derrota em casa para o maior rival, a diretoria do Atlético-MG afirma que o treinador continua prestigiado dentro da Cidade do Galo. A lógica é simples: todo começo de trabalho é complicado. E é justamente nisso que aposta o presidente do clube. Para Daniel Nepomuceno, a sequência do trabalho tende a deixar o Atlético mais forte e brigando pelas primeiras colocações do Campeonato Brasileiro.

"Quem acompanha futebol sabe que o novo treinador demora um tempo. Não chega no dia e o trabalho vem de imediato. Acontece com todos os bons treinadores. O presidente é o que mais se cobra. Os jogadores estão fechados, o grupo está concentrado. Então, retornando todas as peças, acho que o treinador tendo mais tempo e conhecimento do elenco, os resultados vão chegar", declarou o mandatário alvinegro, que aposta também no retorno de jogadores importantes, casos de Luan e Lucas Pratto, que ainda não aturam sob o comando de Marcelo Oliveira.

"Você não pode cobrar da comissão técnica ainda, que não conseguiu ver todos os jogadores que estão dentro do elenco", completou Nepomuceno, que está no segundo ano de mandato na presidência do Atlético e foi vice-campeão nacional na primeira temporada.

Para mostrar que não existe pressão, Daniel Nepomuceno fez questão de acompanhar os trabalhos da semana, na Cidade do Galo. Sempre conversando com Marcelo Oliveira. Diálogos classificados como normais pelo treinador atleticano.

"Conversamos sempre que ele vem aqui, sobre o Atlético, de uma forma geral. Alguns deles é natural que fique internamente. Temos um elenco bom, numeroso. Apenas essa questão das contusões que está atrapalhando, pois não deixa o time manter uma base e crescer. Mas é algo que está acontecendo com outros clubes também", disse Marcelo Oliveira.

Mas para que o clube continue bom e a confiança em alta, o Atlético precisa vencer o Coritiba, nesta segunda-feira, para seguir na briga pelas primeiras colocações do Campeonato Brasileiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos