Sem esforço, Santa faz três em BH e afunda o América-MG na última colocação

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

A situação do América-MG é tão desesperadora que nem mesmo um duelo em casa contra o também ameaçado Santa Cruz ajudou o time a diminuir sua distância para os outros times do Z-4. Com um show de erros, a equipe mineira deu mais um vexame e saiu derrotada por 3 a 0. Os gols da partida foram marcados por Tiago Costa e Marcílio, ainda antes dos 15 minutos da partida. No segundo tempo, o passeio continuou e Arthur fechou a conta.

Com o resultado, o América-MG permanece com oito pontos e ainda pode ficar a sete pontos do penúltimo colocado no fim desta rodada, enquanto o Santa Cruz vence a primeira fora de casa, vai aos 17 e deixa momentaneamente o 18º lugar, precisando agora secar os concorrentes para não voltar para o Z-4. Na próxima rodada, o duelo será ainda mais difícil para os mineiros, que vão visitar o Flamengo. Já o Tricolor encara outro duelo direto contra o rebaixamento, desta vez diante do Coritiba, no Arruda.

Arthur foi a arma do Santa e ainda deixou um golaço

Seja pela esquerda ou direita, Arthur foi quem mais infernizou a zaga americana. A postura dos anfitriões não obrigou o Santa Cruz a fazer uma grande partida e até facilitou o trabalho dos homens de frente do tricolor. No segundo tempo, Arthur ainda recebeu livre de Léo Moura e marcou um golaço.

Quem decepcionou: Osman errou tudo que podia

Praticamente ninguém do América se salvou na derrota em casa, mas em 15 minutos, o atacante Osman foi o protagonista de mais um jogo desastroso. Primeiro o atacante perdeu a dividida no pé de ferro para Tiago Costa e viu o adversário abrir o placar. Pouco depois, chegou forte em Uillian Correia, tirou o volante da partida e ainda ficou no lucro sem o cartão. A chance de se redimir e empatar o jogo surgiu no pênalti, mas a cobrança fraca e no meio do gol parou nos pés de Tiago Cardoso. No lance seguinte, o Santa voltaria a marcar.

Grafite volta sumido e com poucas chances

Clelio Tomaz/AGIF
Grafite, atacante do Santa Cruz

Recuperado de uma lesão na coxa direita que o tirou de três rodadas, o vice artilheiro do Brasileirão voltou ao Santa Cruz e refez o trio ofensivo com Keno e Arthur. Porém, dentro de campo, o atacante esteve sumido e só chamou atenção em um único lance. No final do primeiro tempo, recebeu na entrada da área, dominou rapidamente e finalizou tirando tinta da trave de João Ricardo. Na etapa final, foi substituído aos 30 minutos com cansaço.

América coleciona erros e presenteia Santa com os três pontos

A falta de competência técnica do América fez falta mais uma vez. A posse de bola superior do Coelho se resumia a passes de lado e sem objetividade. Na hora de atacar, os jogadores se revezavam nos erros individuais e excessivos. Quando a bola não queimava no pé, os passes saíam errados demais ou os cruzamentos eram demasiadamente fortes. Na defesa, uma sucessão de bobeiras amadureceram o gol do Santa e reforçaram a "zaga delivery" já nos primeiros minutos. Sem organização nenhuma e mal conseguindo trocar passes em sequência, o time se desestabilizou já no primeiro gol e deixou a vitória nas mãos do Santa. Na etapa final, o espírito de luta foi o mesmo e o castigo só continuou com Arthur, autor do terceiro gol.

Sem esforço, Tricolor precisou de 15 minutos para construir a vitória

Não precisou de muito para o Santa Cruz vencer sua primeira partida fora de casa. A começar pelas repetidas bobeadas do América que apenas amadureceram os gols. Sem muita marcação, Tiago Costa precisou apenas de ganhar uma dividida para abrir o placar. Livre fora da área, Marcílio aumentou o marcador após jogada de escanteio. Debaixo das traves, Tiago Cardoso ainda defendeu a cobrança displicente de Osman no pênalti. Tudo isso em 15 minutos de jogo. A partir daí, foi só controlar a partida e administrar o primeiro triunfo longe de Recife. Recuado e à espera de contra-ataques na etapa final, ainda deu para a equipe voltar a balançar as redes com Arthur, entrando livre pela área após lançamento rasteiro de Léo Moura.

Emocional abalado deixou Sérgio Vieira de mãos atadas

Pior que a baixa qualidade técnica dos jogadores do América-MG foi o fator motivacional do time. Vendo seu time desestabilizado desde o primeiro gol, o treinador não conseguiu mudar o espírito de luta dos seus atletas, que pouco esboçaram a reação por um resultado menos vexatório. A saída do português foi fechar a equipe após o terceiro gol, faltando ainda 25 minutos do fim.

AMÉRICA-MG 0x3 SANTA CRUZ

Motivo: 15ª rodada, Brasileirão 2016
Data/Hora: 17/07/2016, às 11h
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Thiago Henrique Neto (RJ)

GOLS: Tiago Costa, 8'1ºT (0-1); Marcílio, 15'1ºT (0-2); Arthur, 10'2ºT (0-3)
Cartões amarelos: Pablo, Gilson (AME); Néris, Grafite (SCR)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 2.404 pagantes/R$24.390,00.

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Pablo, Adalberto, Roger e Bruno Teles (Sávio - 12'2ºT); Leandro Guerreiro (Claudinei - 19'2ºT) e Juninho; Alan Mineiro (Danilo - 29'2ºT), Gilson e Osman; Danilo Dias. Técnico: Sérgio Vieira.

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso, Léo Moura, Néris, Dani Morais e Thiago Costa; Uillian Correia (Derley - 14'1ºT), Marcílio (Jadson) e João Paulo; Arthur, Keno e Grafite (Marion - 30'2ºT). Técnico: Milton Mendes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos