Inter treina finalização sob protesto com direito a rojão e pedras

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional treinou sob protestos, na tarde desta quarta-feira (20), em seu CT. Um grupo de 30 pessoas entoou gritos contra jogadores e diretoria, atirou pedras em direção aos atletas e ainda soltou rojões. No campo, Paulo Roberto Falcão trabalhou finalizações e esboçou um time com Valdívia titular e Fabinho na lateral direita.

Às margens da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, o grupo abriu faixas contra a diretoria. E passou quase todo o treino xingando atletas e dirigentes. Depois, eles arremessaram pedras em direção ao gramado.

O Internacional, que reforçou a segurança desde o episódio do último domingo no edifício garagem do Beira-Rio, deslocou funcionários para o setor próximo de onde estava o grupo.

Durante a atividade, pelo menos cinco rojões foram soltos do lado de fora do CT do Parque Gigante.

Falcão e os jogadores tentaram ficar alheios aos gritos e barulhos de fora. Primeiro, o esforço foi para ignorar os reclames diante de um exercício de fundamento: finalização.

"Capricha, bate bem na bola. Ela tem que ser mais rápida", pediu Falcão. "Vamos criar o hábito de fazer gol, vamos gostar de fazer gol", completou.

Depois, em trabalho tático com campo reduzido, os atletas foram novamente xingados. Paulão chegou a esboçar uma reação, olhando para o grupo do outro lado da cerca. Praticamente todos os atletas do elenco foram citados nas reclamações.

O time esboçado no trabalho: Danilo Fernandes; Fabinho, Paulão, Ernando e Geferson; Fernando Bob, Anselmo, Eduardo Sasha e Gustavo Ferrareis; Valdívia e Vitinho.

No domingo, o Internacional enfrenta a Ponte Preta, em partida da 16ª rodada do Brasileirão. O time gaúcho vem de cinco derrotas consecutivas e não vence há sete partidas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos