Atlético-MG vence Palmeiras e embola o Campeonato Brasileiro

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

O talento de Robinho e a estratégia do Atlético-MG derrubaram a invencibilidade do Palmeiras como mandante no Campeonato Brasileiro de 2016. Com assistência do camisa 7, o clube mineiro derrotou o líder da competição por 1 a 0, gol de Leandro Donizete, e embolou novamente a briga pelas primeiras colocações da principal competição nacional.

A primeira derrota em casa do Palmeiras minimiza o tropeço do Corinthians, que ficou apenas no empate por 1 a 1 com o Figueirense, na Arena em Itaquera. A equipe de Cuca segue com 32 pontos, dois a mais do que o arquirrival do Parque São Jorge.

Em contrapartida, o Atlético-MG obteve um resultado importante para sonhar com a briga lá em cima na tabela de classificação. O time comandado por Marcelo Oliveira chegou aos 26 pontos somados e subiu para a quinta colocação momentaneamente.

As duas equipes novamente contarão com uma semana inteira para trabalhar. Embalado por dois triunfos consecutivos, o Atlético-MG recebe no sábado, a partir das 21h (de Brasília), o Santa Cruz, no Independência. O líder Palmeiras joga apenas na segunda-feira, às 20h, contra o Botafogo, na Arena Luso-brasileira, no Rio de Janeiro.

O melhor: Robinho destoa dos demais

Rubens Cavallari/Folhapress

Uma exibição para se recordar. Jogador mais perseguido pelos palmeirenses neste domingo, Robinho respondeu com um alto nível de exibição Sem um meia no Atlético-MG, o atacante se viu responsável por organizar o ataque dos visitantes. Dos pés dele, em uma jogada com toques rápidos, saiu a assistência para Leandro Donizete anotar o gol dos mineiros.

O pior: Cleiton Xavier, manhã pouco inspirada

O camisa 10 palmeirense, em alguns momentos da partida, até encontrou espaço para jogar. No entanto, diante do Atlético-MG, Cleiton Xavier deixou o gramado após atuação apagada. Responsável por organizar o Palmeiras ofensivamente, o meia parou na marcação dos três volantes de Marcelo Oliveira.

Estreia para impressionar e aliviar as saudades

Um dos atletas mais comemorados no momento em que o sistema de som do Allianz Parque anunciou a escalação, Vagner respondeu ao apoio com uma atuação segura. No primeiro tempo, o goleiro, que estreou no Palmeiras após sete meses na reserva, fez grande defesa em chute de Robinho da entrada da área. Tranquilidade e confiança para quem carrega uma grande responsabilidade de substituir Fernando Prass.

Palmeiras: insistência errada no 'chuveirinho'

Sem Gabriel Jesus, o ataque do Palmeiras perdeu em movimentação e criatividade. Apesar de Cuca levar a campo três jogadores velozes (Erik, Róger Guedes e Dudu), a equipe da casa sofreu para ultrapassar a forte marcação atleticana. Sem a agressividade demonstrada nos outros jogos como mandante, o líder do campeonato insistiu nas bolas aéreas, especialmente com Zé Roberto.

Atlético-MG: marcação firme, e Robinho 'sozinho'

Ale Cabral/AGIF

Marcelo Oliveira mandou ao gramado três volantes, com o objetivo de segurar o ímpeto do mandante Palmeiras. Deu certo. Embora, por muitos momentos, o setor de meio-campo apresentasse buracos – Cleiton Xavier e Tchê Tchê, consequentemente, encontraram uma liberdade inesperada -, a presença de um atleta com característica maior de marcação minou a pressão palmeirense, comum no Allianz Parque.

Cuca: sem Jesus, a aposta errada

Rubens Cavallari/Folhapress

Sem Gabriel Jesus, que se encontra em Teresópolis com a seleção olímpica, Cuca preferiu manter a formação com três homens de velocidade no ataque. No entanto, em uma manhã de jogo truncado – fruto da escalação de Marcelo Oliveira com três volantes -, faltou espaço no primeiro tempo. Cuca ainda tentou voltar atrás e levou a campo Lucas Barrios e Alecsandro, quando o placar se mostrava favorável aos atleticanos. 

Marcelo Oliveira protege a zaga e ganha com talento individual

Rubens Cavallari/Folhapress

O treinador atleticano escalou três volantes e deixou um recado claro: segurar a pressão do Palmeiras no Allianz Parque. Lucas Cândido, Rafael Carioca e Leandro Donizete mostraram falhas de posicionamento, mas cumpriram bem a função. O Palmeiras teve poucos espaços no setor mais adiantado do ataque e criou pouco. No ataque, o talento individual favoreceu ao treinador, que viu Fred e Robinho criarem a jogada do gol.

Olha o carinho da torcida

Apesar do título da Copa do Brasil no final do ano passado, o torcedor palmeirense não guarda boas recordações do técnico Marcelo Oliveira – pelo menos os mais de 39 mi presentes na manhã deste domingo. O nome do agora comandante atleticano foi o mais vaiado no anúncio da escalação. A resposta veio em campo, com a vitória dos mineiros.

Quem quer dinheiro?

O confronto entre Palmeiras x Atlético-MG registrou a maior renda de um jogo deste Campeonato Brasileiro. Os mais de 39 mil torcedores presentes geraram R$ 2.935.305,48 de arrecadação nas bilheterias do Allianz Parque. Pela primeira vez na competição, todos os ingressos disponíveis aos palmeirenses foram negociados pela internet, no site Futebol Card.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 x 1 ATLÉTICO-MG

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 24 de julho de 2016 (domingo)
Horário: 11h (de Brasília)
Público: 39.400
Renda: R$ 2.935.305,48
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Luiz Claudio Regazone (ambos do RJ)
Cartões Amarelos: Tchê Tchê (Palmeiras); Carlos César e Rafael Carioca (Atlético-MG)

Gol:
ATLÉTICO-MG: Leandro Donizete, aos 14min do 2ºtempo

PALMEIRAS: Vagner; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Matheus Sales) e Tchê Tchê; Róger Guedes, Cleiton Xavier (Lucas Barrios) e Dudu; Erik (Alecsandro).
Técnico: Cuca.

ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Leonardo Silva, Erazo e Fábio Santos; Leandro Donizete (Yago), Rafael Carioca e Lucas Cândido; Maicosuel (Luan), Fred (Lucas Pratto) e Robinho.
Técnico: Marcelo Oliveira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos