Falcão se diz 'feliz pela circunstância' e pede carinho à torcida do Inter

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional perdia, não ia bem, tinha 10 em campo, mas conseguiu empatar. E pelas circunstâncias do jogo, o técnico Paulo Roberto Falcão se disse feliz pelo ponto conquistado. Até porque o empate em 2 a 2 contra a Ponte Preta quebrou uma série de derrotas que poderia chegar a seis partidas. 

"Se o time tivesse feito um grande jogo, seria anormal. Não tem como fazer isso diante de tudo que estamos fazendo. Eu ficaria feliz, mas não entenderia como normal. Normal é um crescimento daqui para frente. Eu quero ressaltar, diante de tudo que está acontecendo, um time que toma gol aos 50 segundos do segundo tempo, perde um jogador aos 13 e mesmo assim consegue o empate. Não sentimos o gol, não sentimos a expulsão, é isso que temos que tirar do jogo. E a partir de amanha vamos começar a corrigir as coisas. Diante da circunstância, foi excepcional. Já dei os parabéns aos jogadores, mas temos que corrigir a partir de segunda-feira coisas que temos que melhorar", comentou Falcão. 
 
O Internacional até saiu na frente, com Valdívia. Mas sofreu o empate ainda no primeiro tempo e levou o gol da virada no começo da etapa complementar. Esteve perto de levar mais gols, porém empatou com gol de Ariel aos 37 do segundo tempo. O ponto, mesmo no oitavo jogo sem vitória, foi comemorado. 
 
"Quando se está há muito tempo sem ganhar e se abre o placar, o pessoal pensa, estou ganhando, vou recuar. O gol da Ponte foi uma saída errada nossa e uma boa retomada. E no segundo gol, uma jogada que o Reinaldo lançou longo para o jogador por trás, não tinha impedimento, e depois a bola foi rifada e deu a sorte de cair no pé do Wendell. São correções que vamos fazer. Quero um time que marque um pouco mais para frente. Mas não podemos fazer isso com a série de derrotas. É uma pressão normal de um time que vem com dificuldades. Não estou feliz com o resultado, mas pela circunstância. Temos que contextualizar isso", explicou. 
 
E um passo importante para a retomada das vitórias será o carinho da torcida. É o que espera o ex-camisa 5 que fez história no Colorado. 
 
"A confiança está voltando. Isso é um sinal importante. Conseguimos buscar a situação e a vibração foi importante. É um time que trabalha firme e forte. Ninguém mais do que eles [jogadores] querem sair disso. A família sofre com a crítica, os torcedores que estiveram lá [protestando no treinamento] dificultaram para eles. Mas é por isso que domingo teremos um Beira-Rio lotado com apoio, eles estão merecendo este afago. Porque etão trabalhando muito e sofrem muito. É um momento de calma e tranquilidade, tentar, dentro do possível, fazer as correções que devem ser feitas", finalizou. 
 
Inter e Corinthians jogam no próximo domingo em Porto Alegre. O Colorado ficou com 21 pontos na classificação. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos