Falcão põe Internacional no divã

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeremias Wernek/UOL

    Falcão quer resolver problema psicológico dos jogadores do Internacional

    Falcão quer resolver problema psicológico dos jogadores do Internacional

Paulo Roberto Falcão quer atacar o que considera um dos principais problemas do Inter: o psicológico. Conversando com elenco, motivando no momento certo e tratando de falar cada vez menos na série de oito jogos sem vitória, o treinador procura 'no divã' evitar que os abalados jogadores percam a naturalidade de jogo. 

"A gente tem que ter muito cuidado quando falamos no emocional. Quando acontece isso, pode ser pior. Tenho alguns anos de deitar no divã. Mais de 18 anos. É melhor às vezes não falar dessa situação, é como altitude. Mas é evidente que se trabalha isso e se dá o peso adequado. Não é 100 nem 10. Tem que ter equilíbrio", disse o treinador. 
 
A estratégia teve muita conversa durante a semana. A cada treinamento, antes ou depois, Falcão reunia os jogadores e tratava de ouvir problemas, interpretar dificuldades e tentar acabar com a incômoda sequência de jogos sem vitória. Nos últimos oito compromissos, 24 pontos disputados, apenas três conquistados. 
 
"Quando cheguei, perguntei para os jogadores por que um time que tinha ficado tanto tempo entre os primeiros estava nesta situação. Disse que tentaremos descobrir isso juntos. Estamos há nove treinos conversando muito. E conversar é importante. Eles (jogadores) estão conscientes que podem repetir os resultados. E quando os negativos começam a aparecer, é difícil manter a tranquilidade. Eu sempre falo que é que nem trabalhar na televisão. Pode dar tudo errado, mas você não pode perder a naturalidade. Eu digo para eles, que jogar futebol é isso. Tem que ter alegria. E isso não é firula, mas alegria de jogar, com time bem encaixado", comentou. 
 
Além de ouvir os atletas e conversar muito, Falcão tratou de afastar o contato com a torcida. Depois de reclamar dos protestos que aconteceram em treinamentos e depois de jogos, o comandante fechou os dois últimos treinamentos para pegar o Corinthians, no próximo domingo. 
 
"Não coloco pressão para ganhar domingo, mas para jogar bem. O importante é jogar bem. Se fizer isso, está mais perto de vencer. Ninguém nega que é um jogo importante. Seria o mesmo se o Inter fosse líder, porque é um adversário direto. E temos chance de fazer um bom jogo, sem colocar na cabeça de ninguém que somos obrigados a vencer, porque isso aumentaria ainda a pressão", explicou. 
 
Os problemas de falta de confiança são evidentes e tratados normalmente pelos jogadores. "Quando se está numa fase dessas, é difícil. Qualquer coisa que se tente fazer dá errado", comentou o zagueiro Ernando. "Eu me cobro muito para melhorar e sei que todos querem sair desse momento", completou. 
 
Internacional e Corinthians jogam no domingo às 16h (horário de Brasília), no Beira-Rio. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos