Gols e movimentação: como Vitor Bueno virou peça fundamental no Santos

Do UOL, em São Paulo

Vitor Bueno foi uma das armas de Dorival Júnior para fazer com que o Santos engrenasse no Campeonato Brasileiro após um desempenho irregular nas primeiras cinco rodadas da competição. Em meio aos inúmeros desfalques do clube paulista no primeiro turno, o camisa 18 cresceu de produção e tornou-se peça essencial no esquema do treinador alvinegro.

O meia foi criticado por más atuações na fase final do Campeonato Paulista, mas ganhou um voto de confiança de Dorival e se redimiu com gols e trocas constantes de posição. O comandante já fez uma série de elogios ao jogador diante da imprensa. 

"Vejo nele (Vitor Bueno) um futuro muito promissor. Essa maturação não se pode medir", afirmou o técnico, no fim de maio. 

No último domingo (31), o camisa 18 fez o papel de centroavante e apareceu entre os zagueiros adversários no lance que abriu caminho para a vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, na Vila Belmiro. Ele chegou a oito gols no Brasileiro e está a apenas dois do palmeirense Gabriel Jesus, o artilheiro da competição.

"Foi um gol importante. A bola costuma ser do Ricardo, mas falamos do segundo movimento. Ele fez o primeiro e eu fiz o segundo. O passe do Caju foi excelente e eu pude abrir o placar, com um gol que foi fundamental para vencermos", disse.

Além de estar acostumado a invadir a área, Vitor Bueno vem trocando de posição com Copete no decorrer das partidas. O deslocamento constante do jovem de 21 anos e do colombiano é uma das marcas do Santos nos últimos jogos. Ele atribui a boa fase à confiança de Dorival em seu futebol.

"Aprendi muito com o professor Dorival. Ele me posicionou em campo, me ajudou tecnicamente e taticamente. É perceptível essa mudança. Agora venho mais buscar a bola e o Dorival me pede para ficar livre para fazer o que for melhor na circunstância de jogo", contou.

Gols: o segredo da ascensão rápida

Aos 21 anos, Vitor Bueno tem pouco mais de um semestre na equipe principal do Santos. Sua estreia aconteceu na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, na goleada por 5 a 1 sobre o Atlético-PR. Logo em sua primeira partida, já mostrou o lado artilheiro e deixou sua marca contra os paranaenses.

Ele soma 12 gols – 11 nesta temporada – em 35 partidas com a camisa alvinegra, média de 0,34 por jogo. Seu companheiro de setor Lucas Lima, em 137 jogos, anotou 14 gols, média de 0,10 por partida.

O meia foi contratado junto ao Botafogo-SP por empréstimo no início de 2015 para jogar pelo time B do Santos. Com a ascensão rápida, a diretoria acertou sua renovação até o fim de 2020. Sua multa rescisória é de 50 milhões de euros.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos