Santos visa renda do ano contra o Fla, mas só tropeça quando escolhe arenas

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/Santos FC

    Sem Ricardo Oliveira, Lucas Lima e trio olímpico, Santos aposta em Vitor Bueno

    Sem Ricardo Oliveira, Lucas Lima e trio olímpico, Santos aposta em Vitor Bueno

O Santos entra em campo contra o Flamengo, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), em jogo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro sonhando alto. A equipe busca a liderança, mas pensa, também, em uma conquista fora de campo: a sua maior renda no ano. O preço para isso, no entanto, pode acabar custando caro.
 
A partida acontecerá na Arena Pantanal, em Cuiabá. Desde que as arenas para a Copa do Mundo foram concluídas, a equipe vendeu três mandos e jamais venceu. Foram duas derrotas em 2014 –  para São Paulo e Atlético-MG, no mesmo estádio – e um empate diante do próprio Flamengo um ano antes, em Brasília, na despedida de Neymar para jogar no Barcelona.
 
Financeiramente, o confronto pode ser rentável ao clube. O Santos ficará com 60% da arrecadação, além de um valor repassado pela empresa de eventos que negociou a transferência de mando no último ano.
 
Além do fato do Flamengo atrair público por sua torcida, a fase das equipes ajuda. Apenas dois pontos separa o Santos, vice-líder, dos cariocas, na quinta colocação, que lutam para enfim entrar no grupo dos quatro primeiros colocados.
 
No último jogo feito, diante do São Paulo, em 2014, o local ultrapassou 33 mil torcedores e R$ 2,4 milhões de renda bruta.
 
No ano, o Santos tem sofrido com o baixo faturamento na Vila Belmiro. A melhor renda aconteceu na final do Campeonato Paulista, contra o Audax, apenas R$ 934 mil de renda bruta, R$ 575 mil contabilizando as despesas descontadas. Tudo isso para ser dividido entre as equipes.
 
"Lamento pelo jogo, é um concorrente direto. Sabemos que saindo do estado teremos 95% da torcida contra. O Santos fará 11 jogos fora e oito em casa no primeiro turno. Sendo que desses oito, seis na Vila, mas está marcado e não posso ficar lamentando, justificando ou criticando. Queria jogar na Vila, é natural. Em último caso, no Pacaembu. Temos nossos objetivos e vamos correr atrás do resultado. A equipe vem se mostrando competitiva e espero que mantenha essa postura", explicou o técnico Dorival Júnior.
 
A diretoria tentou melhorar a conta com jogos no Pacaembu, mas outras despesas geradas e o desempenho como mandante na Vila acabam esfriando mais partidas em São Paulo.
 
Para o confronto, além do trio Thiago Maia, Gabriel e Zeca, que está servindo a seleção olímpica, o Santos não contará com os seus dois principais remanescentes: o centroavante Ricardo Oliveira, poupado por um incômodo no joelho direito, e o meia Lucas Lima, que segue em recuperação de edema na coxa esquerda. Rodrigão e Jean Mota devem ser os seus substitutos, respectivamente.
 
"Não deve mudar muito. Tem essa questão do Jean entrar, mas forma de jogar não muda. Temos feito bons jogos fora de casa. É um time gosta da posse d ebola, temos que tirar isso deles", alertou o lateral direito Victor Ferraz.
 
O Flamengo, por sua vez, não conta com o zagueiro Juan, machucado, que deve ser substituído por Rafael Vaz.
 
Ficha Técnica – Santos x Flamengo
 
Data e horário: quarta-feira, às 21h45 (horário de Brasília)
Local: Arena Pantanal, Cuiabá-MT
Arbitragem: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA-FIFA)
Auxiliares: Marcio Gleidson Correia Dias e Helcio Araújo Neves (ambos do Pará)
 
Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato, Léo Cittadini, Jean Mota, Vitor Bueno e Copete; Rodrigão.
Técnico: Dorival Júnior
 
Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver (Donatti), Rafael Vaz e Chiquinho; Márcio Araújo, Willian Arão, Mancuello e Alan Patrick; Everton e Guerrero.
Técnico: Zé Ricardo

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos