Sóbis desencanta, faz três em seu ex-clube e Cruzeiro afunda Inter na crise

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

Uma palavra resumia o encontro do Cruzeiro contra o Internacional nesta noite de quinta-feira: reação. E nada melhor que uma goleada para findar um jejum de seis vitórias que já durava mais de um mês. Foi assim que o técnico Mano fez sua reestreia em BH e viu sua equipe aplicar uma goleada de 4 a 2 diante do Internacional dentro do Independência (o Mineirão está sendo usado para os Jogos Olímpicos). O nome do jogo foi ninguém menos que Rafael Sóbis, ex-colorado que anotou três gols. Ábila fez o outro, enquanto o Inter marcou com Seijas e Alex.

Se de um lado houve respiro, do outro há desespero. Agora há dez jogos sem vencer no Brasileirão, o Inter já beira 50 dias sem triunfar e amarga sua pior sequência nos últimos 25 anos.

Com o resultado, o Cruzeiro vai aos 18 pontos e permanece no Z-4, mas ganha fôlego e confiança para os próximos jogos, enquanto o Inter segue sem vencer, permanece com 21 e passa a conviver mais de perto com a ameaça do rebaixamento. Na próxima rodada, os mineiros visitam o Corinthians, na segunda-feira, enquanto os gaúchos recebem o Fluminense, no domingo.

Quem brilhou: Sóbis desencanta e castiga seu ex-clube em reencontro

Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro

Bicampeão da Libertadores em 2006 e 2010 com o Internacional, o atacante Rafael Sóbis não teve piedade com ex clube. Além de marcar pela primeira vez com a camisa do Cruzeiro, o camisa 7 foi o responsável pelo início da reação celeste após o gol sofrido nos primeiros minutos. Foi o nome do jogo, balançou as redes por três vezes e foi o principal responsável pela melhor apresentação do clube no Brasileirão.

Cruzeiro controlou o emocional e teve frieza para virar

Dessa vez foi diferente e o emocional não abalou o Cruzeiro. Depois do gol levado com dois minutos, o time teve paciência para colocar a bola no chão e buscar a virada, algo que não acontecia com frequência neste Brasileiro. Sóbis foi o responsável por igualar o marcador e Ramón Ábila, em um típico lance de centroavante, pegou uma bola de primeira e finalizou rasteiro, bonito, no canto esquerdo de Lomba. Dominando o jogo, a equipe mineira ainda exercitou a paciência e aguardou o momento certo para contra-atacar com velocidade e anotar o terceiro, novamente com Sóbis. No segundo tempo, o camisa sete ainda marcou outro belo gol e saiu de campo ovacionado pela torcida.

Melhor momento do Inter só durou dois minutos

O início arrasador dava pinta que a vitória poderia sair. Mas o melhor momento só saiu no erro da marcação alta do Cruzeiro, gerando o gol de Seijas. Anderson era o responsável por tentar deixar os companheiros em boas posições. Valdívia foi o mais ativo da equipe, mas sumiu depois que o Cruzeiro encaixou sua marcação. Sempre inferior tecnicamente ao adversário, o Inter até teve mais posse de bola em alguns momentos, mas sem conseguir atacar com eficiência, resumia suas ações ofensivas na base do abafa. Virou vítima dos espaços que o Cruzeiro lhe ofereceu e tomou um baile no jogo coletivo do adversário mineiro. O gol de pênalti marcado por Alex, no segundo tempo, pouco adiantou. Perdido, a equipe saiu de campo com outra derrota, mas com inéditos quatro gols ainda não sofridos em um mesmo jogo na competição.

Mano resgatou a essência do Cruzeiro de 2015

Pedro Vilela/Light Press/Cruzeiro

Em seu reencontro com o torcedor de Belo Horizonte, Mano Menezes conseguiu colocar em campo aquilo que imprimiu no Cruzeiro de 2015. Dentro das quatro linhas, o time apresentou mais volume, consistência e criatividade. Além de não repetir o desespero pós-gol sofrido dos últimos jogos, a equipe ainda teve frieza e soube exercitar a paciência para repetir com qualidade a antiga estratégia, contra-atacando com muita eficiência para matar a partida.

Mudanças não surtem efeito e Falcão amarga o quarto tropeço

Falcão iniciou a partida com Anderson, Valdívia e Paulo Cesar. Da trinca de novidades, o primeiro até começou bem, mas perdeu-se com o desenrolar do jogo e não conseguiu criar as jogadas como desejava. Valvídia sofreu com a boa marcação mineira e caiu de produção, enquanto o lateral errou no terceiro gol mineiro. No segundo tempo, Falcão ainda promoveu a entrada de Alex, que marcou de pênalti, mas não conseguiu mudar o cenário e desempenho desastroso do clube.

CRUZEIRO 4x2 INTERNACIONAL
Motivo: 18ª rodada, Brasileirão 2016
Data/Hora: 04/08/2016, às 21h (Brasília)
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Raphael Claus (SP/Fifa)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)

GOLS: Seijas, 2'1ºT (0-1); Rafael Sóbis, 13'1ºT (1-1); Ramón Ábila, 16'1ºT (2-1); Rafael Sóbis, 40'1ºT (3-1), 7'2ºT (4-1); Alex, 27'2ºT (4-2)
Cartões amarelos: Fábio (CRU), Alex (INT)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 12.454 torcedores/R$232.914,00.

CRUZEIRO: Fábio; Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Ariel Cabral, Bruno Ramires e Robinho (Rafinha - 35'2ºT); Arrascaeta; Rafael Sóbis (Douglas Coutinho - 29'2ºT) e Ramón Ábila (Marcos Vinícius - 40'2ºT). Técnico: Mano Menezes.

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Paulo Cezar, Alan Costa, Ernando e Artur; Fernando Bob, Fabinho, Anderson (Marquinhos - Intervalo) e Seijas (Ariel - 35'2ºT); Valdívia (Alex - 13'2ºT) e Nico López. Técnico: Paulo Roberto Falcão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos