Copete minimiza duelo entre Santos e Robinho e prevê jogo de "muito ataque"

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Rafael Ribeiro / CBF

    Robinho, ídolo do Santos, enfrentará o clube que o revelou para o futebol pela 1ª vez

    Robinho, ídolo do Santos, enfrentará o clube que o revelou para o futebol pela 1ª vez

O atacante Jonathan Copete minimizou o fato de o Santos enfrentar o ídolo Robinho pela primeira vez em sua história. Para o colombiano, a equipe santista precisa ficar atenta com todos os jogadores do Atlético-MG, neste domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, em jogo válido pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.

"Sim. Muita história (Robinho e Santos). Todos querem fazer o melhor contra a ex-equipe e, é isso, que ele e o time vão querer fazer. Robinho faz parte do elenco. Não jogamos contra ele, mas contra o Atlético. Temos que estar preparados e concentrados para vencermos o confronto direto em casa. Nos deixa na briga ainda. Não podemos nos distanciar da zona de classificação. Vai ser importante jogarmos a 100%, com apoio da nossa torcida, para vencermos e ficarmos na briga", afirmou Copete.

O colombiano acredita que o duelo entre Santos e Atlético-MG será bastante ofensivo, devido à característica dos times. O Galo tem o segundo melhor ataque da competição, com 33 gols marcados, enquanto o alvinegro praiano tem o terceiro melhor ataque, com 32 gols. O Palmeiras é o líder no quesito, com 35 gols.

"Vai ser uma partida movimentada, por características dos dois times, que são ofensivos, vai haver muito ataque, muita briga no meio-campo. Vai ser alí que terão alternativas para chegar às defesas. Temos que estar comprometidos na defesa e no ataque para levarmos vantagem. Certamente o jogo vai ser especial", disse.

Além do equilíbrio em relação ao ataque, Santos e Atlético-MG fazem o famoso duelo de 'seis pontos'. A equipe santista é a quinta colocada na competição, com 33 pontos, dois a menos que o Galo, que está na vice-liderança.

"Sabemos que somos fortes como mandantes, onde sempre temos o apoio da nossa torcida, pois nos dá força contra rivais diretos por coisas importantes e chegar a uma Libertadores. Vai ser importante essas partidas em casa, onde o torcedor pode nos acompanhar. Apesar da derrota, sabemos que estamos na briga, onde todos os times estão colados. Se ganhar dois, é líder, perde uma, cai. Campeonato equilibrado. Importante é estar na briga e depende de nós", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos