Em Vila hostil a Robinho, Santos vence Atlético com dois gols de Oliveira

Do UOL*, em São Paulo

Pela primeira vez, Robinho esteve na Vila Belmiro e não comemorou uma vitória do Santos. Revelado pelo clube e um dos maiores ídolos na era pós-Pelé, o camisa 7 foi vaiado e xingado e viu o Santos ganhar do seu Atlético-MG por 3 a 0, gols de Gustavo Henrique e Ricardo Oliveira, que marcou duas vezes.

Os dois primeiros gols foram de cabeça, em jogadas de escanteio. Gustavo Henrique e Ricardo Oliveira aproveitaram vacilos da defesa atleticana e finalizaram com perfeição. O terceiro saiu aos 48 min do segundo tempo. Ricardo Oliveira recebeu na cara de Victor e bateu forte. Artilheiro do Brasileiro em 2015, o camisa 9 anotou seus dois primeiros gols no campeonato deste ano.

Com mais um resultado positivo em casa, a equipe do técnico Dorival Junior soma 36 pontos e sobe do quinto para o segundo lugar - ultrapassa o próprio Atlético-MG, além de Corinthians e Flamengo, que perderam na rodada. Só fica atrás do Palmeiras, que ganhou do Atlético-PR em Curitiba e tem 39 pontos.

Já o Atlético-MG permanece com 35 pontos e cai de segundo para quarto lugar. O time do técnico Marcelo Oliveira vinha de uma sequência de cinco vitórias, mas sucumbiu diante de um concorrente direto. 

No próximo domingo, o Atlético-MG recebe o Atlético-PR às 11h no estádio Independência, enquanto o Santos viaja a Curitiba para enfrentar o Coritiba, às 18h, no Couto Pereira, pela 21ª rodada do Nacional.

RODRIGO GAZZANEL/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
 
Vila hostil a Robinho
 

 

Foi o primeiro jogo de Robinho na Vila Belmiro como adversário, e a torcida não levou em conta o passado vencedor do Menino da Vila, um dos principais responsáveis por tirar o Santos de uma fila de 18 anos sem título em 2002, quando o time alvinegro venceu o Corinthians e conquistou o Brasileiro. Ele foi bicampeão brasileiro em 2004, ganhou duas vezes o Paulista (2010 e 15) e uma vez a Copa do Brasil (2010).
 
Último a entrar em campo pelo Atlético, o camisa 7 foi xingado de "mercenário" e "traidor". A cada vez que pegava na bola, era muito vaiado.
 
"O torcedor pagou ingresso e se manifesta do jogo que quiser. Estou focado no jogo. É normal, estou acostumado com esse tipo de pressão e sabia que isso ia acontecer", declarou ao Premier, na saída para o intervalo. 
 
Santos começa com tudo
 
Os comandados de Dorival Junior, aproveitando o fator casa, iniciaram a partida pressionando os visitantes. Logo aos 25 segundos, Renato arriscou um chute da entrada da área e bateu rasteiro. Victor realizou boa defesa. Era um indício de como seriam os 20 minutos iniciais.
 
A estratégia dos santistas era marcar a saída de bola e atacar pelos lados do campo, principalmente com o apoio do lateral direito Victor Ferraz.
 
A pressão inicial surtiu efeito aos 12min. Depois de realizar três defesas – em chutes de Renato e Vitor Bueno e numa cabeçada de Ricardo Oliveira – Victor não conseguiu evitar o gol de Gustavo Henrique. Após cobrança de escanteio, o camisa 6 subiu sozinho na área e cabeceou com precisão para abrir o placar.
 
Atlético-MG reage
 
Depois de um início avassalador dos donos da casa, o time mineiro passou a dominar o jogo e criou as melhores oportunidades na segunda metade da etapa inicial. Aos 32 min, Carlos Cesar cruzou na área, Lucas Pratto deu um peixinho e acertou a bola no travessão.
 
Aos 39 min, Robinho puxou o contra-ataque pela direita e inverteu o jogo para Maicosuel, que bateu colocado. A bola desviou na defesa santista e assustou o goleiro Vladimir.
 
Robinho para em Vladimir e no bandeira
 
Reserva de Vanderlei, o goleiro Vladimir substituiu o titular à altura. Demonstrou segurança em bolas fáceis e realizou duas grandes defesas no início do segundo tempo. Aos 6min, pegou uma bola cara a cara de Fred. No minuto seguinte, a bola foi cruzada na área e Robinho cabeceou forte. Vladimir voou e espalmou. 
 
Aos 19 min, o camisa 7 recebeu sozinho na área e tocou por cobertura. Balançou a rede, mas o auxiliar invalidou o gol. Robinho estava impedido, um pouco à frente de Victor Ferraz, num lance difícil.
 
 
Santos marca quando Atlético era melhor
 
O segundo gol do time paulista saiu justamente num momento em que os mineiros eram melhores. Em um contra-ataque, o Santos conseguiu um escanteio. Jean Motta cruzou na área, Ricardo Oliveira se antecipou à marcação de Lucas Pratto e ampliou a vantagem.
 
Aula de contra-ataque
 
Para fechar o placar, o time da Baixada deu uma aula de contragolpe aos 48 min. Copete arrancou e tocou para Vitor Bueno, que serviu Oliveira. Sozinho na área, o capitão do time bateu forte, no canto, sem chances para Victor.
 
 
SANTOS 3 X 0 ATLÉTICO-MG
 
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 14 de agosto de 2016, domingo
Gols: Gustavo Henrique, aos 12min do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 24min e aos 48min do segundo tempo.
Cartões amarelos: Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Victor Ferraz, Yuri (Santos); Fred, Victor, Rafael Carioca, Fabio Santos (Atlético-MG).
Público: 10.250 pagantes
Renda: R$ 410.170,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Rodrigo F. Henrique Correa (Fifa/RJ) e Luiz Cláudio Regazone (RJ)
 
SANTOS: Vladimir, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique, Caju; Renato (David Braz), Léo Cittadini (Rafael Longuine), Jean Mota (Yuri), Vitor Bueno, Copete; Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Júnior.
 
ATLÉTICO-MG: Victor, Carlos César, Leonardo Silva, Erazo e Fábio Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete e Maicosuel (Carlos); Robinho (Clayton), Lucas Pratto e Fred (Otero).
Técnico: Marcelo Oliveira.
 
*Atualizado às 20h24

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos