Inter perde na reestreia de Celso Roth e chega a 12 jogos sem vitória

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional empatava com a Chapecoense até os 45 minutos do segundo tempo, mas Martinuccio mudou a história. Na reestreia de Celso Roth, o time gaúcho perdeu para a Chapecoense, nesta segunda-feira (15), no complemento da 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol nos acréscimos amplia a série de jogos sem vitória do Colorado: agora são 12 partidas de jejum.

A derrota não empurra o Inter para a zona do rebaixamento, mas coloca o time em um cenário que historicamente indica sofrimento.

Desde a primeira edição do campeonato por pontos corridos, o São Paulo, em 2013, foi o único que conseguiu se manter na primeira divisão após ficar 12 partidas sem vencer. Outras nove equipes passaram pela mesma situação e acabaram rebaixadas.

Com 22 pontos, o Internacional é 15º colocado e distante um ponto da zona da degola. Já a Chapecoense chega aos 27 pontos e pula para o 10º lugar.

O jogo no oeste catarinense foi fraco. Até o lance que decidiu o confronto, o maior destaque era uma bola na trave (após cabeçada de Eduardo Sasha) e duas grandes defesas de Marcelo Lomba.

A Chapecoense volta a campo pela 21ª rodada do Brasileirão na sexta-feira (19), às 21h30, contra o América, em Belo Horizonte. Já o Inter vai receber o São Paulo, no domingo (21), às 16h, no Beira-Rio.

Inter produz muito pouco e vaza no fim

Um Inter mais compacto e organizado em relação a ele mesmo marcou o primeiro tempo da volta de Celso Roth. Explorando muito a primeira bola e escanteios, o time gaúcho conseguiu equilibrar a partida ainda no começo. Apesar de ter as melhores chances, na comparação com o adversário, faltou contundência ao Colorado para marcar. No segundo tempo o desempenho caiu, o time praticamente não criou chances e viu o volume da Chapecoense aumentar.

Chapecoense troca blitz no começo por pressão no fim

Mesmo sem fazer a blitz imaginada, a Chapecoense começou bem. Gimenez foi a arma usada para levar perigo ao Inter em boa parte do primeiro tempo. Depois de ver o lateral direito ser anulado, o time catarinense investiu tudo em ganhar a segunda bola no meio-campo. Foi mais criativo depois do intervalo, mas com muita dificuldade de chegar até o gol defendido por Marcelo Lomba.

Celso Roth usa 4-1-4-1 e abre mão de Nico López

Celso Roth apostou no 4-1-4-1 para estancar os gols sofridos. Fernando Bob foi fixado à frente da defesa, mas sem recuar para fazer a saída de três (como nos tempos de Argel Fucks). Valdívia e Sasha, abertos, ganharam a incumbência de fechar os lados do campo. No segundo tempo, depois de não ser vazado, Roth mudou a linha de meio-campo. Deslocou Seijas para o lado e puxou Eduardo Sasha para a zona central. Nico López, contratado junto a Udinese-ITA, não entrou na partida.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 1 X 0 INTERNACIONAL

Data e hora: 15/08/2016 (segunda-feira), às 20h (Brasília)
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Árbitro: João Batista de Arruda (RJ)
Auxiliares: Michael Correa (RJ) e João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ)
Cartões amarelos: Gil (CHA); Vitinho, Fernando Bob (INT)
Gol: Martinuccio, aos 46 minutos do segundo tempo

CHAPECOENSE: Danilo; Gimenez, Thiego, Filipe Machado e Dener; Josimar, Gil (Matheus Biteco), Cléber Santana e Tiaguinho (Martinuccio); Hyoran (Bruno Rangel) e Kempes
Técnico: Caio Júnior

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Eduardo, Paulão, Ernando e Artur; Fernando Bob, Eduardo Sasha, Fabinho, Seijas (Alex) e Valdívia (Gustavo Ferrareis); Vitinho (Ariel)
Técnico: Celso Roth

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos