TV Palmeiras flagra ato racista contra Tchê Tchê no Paraná

José Edgar de Matos e Marcello De Vico

Do UOL, em São Paulo

Apesar de deixar a Arena da Baixada com vitória no último domingo, o Palmeiras voltou a São Paulo diante de um ato lamentável. Em vídeo divulgado nesta segunda-feira, a TV Palmeiras flagrou um ato racista contra o meio-campista Tchê Tchê.

No tradicional vídeo dos bastidores da partida, um torcedor do Atlético-PR insulta os jogadores palmeirenses durante a entrada para o aquecimento. Tchê Tchê particularmente se tornou alvo da ofensa.

O atleticano diz: 'Macacada. Tchê Tchê macaco". Ofendido, o meio-campista ainda olha na direção do homem responsável pela ação desprezível.

Injúria racial, delito cometido pelo torcedor ao dirigir-se desta forma a Tchê Tchê, se enquadra no artigo 140, parágrafo 3º, do Código Penal, que prevê reclusão de um a três anos e multa, a qual corresponderá ao tipo de violência cometida.

Tomado o conhecimento da repercussão do caso, Tchê Tchê não se pronunciará sobre o assunto. O Palmeiras, em contrapartida, emitiu uma nota à reportagem do UOL Esporte após consulta sobre o caso. O clube pede punição 'exemplar' ao agressor.

"A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia veementemente a atitude desse cidadão e lamenta que esse tipo de comportamento ainda exista em nossos estádios. Entendemos que esse ato irresponsável não representa o pensamento do Atlético-PR e de seus torcedores. O clube se coloca à disposição do atleta para auxiliá-lo nas providências que ele desejar e, desde já, solicita que as autoridades competentes punam o agressor de forma exemplar", comunicou o clube.

Atlético-PR analisará caso e promete punição

Equipe do torcedor que cometeu o ato, o Atlético-PR se pronunciou pela primeira vez sobre o assunto na noite desta segunda-feira. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o presidente Luiz Sallim Emed promete tomar medidas após se inteirar totalmente sobre o caso.

"Ainda não estou sabendo. Se eu tiver acesso às imagens e identificar, todas as medidas vão ser tomadas. Eu, como presidente, como cidadão, e também segundo os princípios do clube Atlético-PR, considero isso inaceitável. Não dá para aceitar", declarou o dirigente, que já conviveu com problemas de comportamento dos torcedores.

Vanderlei, goleiro do Santos, foi alvo de cusparadas na partida entre os dois times, em 18 de junho. O presidente atleticano se apegou a este caso para ratificar a posição dura do clube contra os péssimos exemplos de comportamento.

"O torcedor do caso Vanderlei foi punido dos jogos. Eu não sei se ele (torcedor do caso Tchê Tchê) é sócio... Se ele for sócio, o clube tem que tomar as providências, como sócio. Se ele não for sócio, é um caso de polícia. Se ele for sócio, as medidas do clube e as medidas jurídicas cabíveis. Se ele não for, as medidas jurídicas cabíveis", prometeu o mandatário do clube rubro-negro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos