Otero completa um mês de Atlético-MG e pode ganhar sequência como titular

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte (MG)

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Rómulo Otero no aquecimento antes da partida entre Atlético-MG e Santa Cruz

    Rómulo Otero no aquecimento antes da partida entre Atlético-MG e Santa Cruz

Rómulo Otero chegou a Belo Horizonte no dia 19 de julho, para fazer exames médicos e assinar contrato com o Atlético-MG. O venezuelano foi confirmado como reforço do clube mineiro momentos antes do fechamento da janela para inscrições de jogadores que atuam fora do Brasil. Desde então se passou um mês e finalmente Otero deve receber sua primeira chance como titular do Atlético.

Como Fred está suspenso para o jogo deste domingo, com o Atlético-PR, e o técnico Marcelo Oliveira revelou o desejo de ver um meia na equipe titular, Otero surge como única opção do treinador atleticano, já que Cazares segue no departamento médico e Dátolo está em fase final de recuperação. Desde o primeiro treino na Cidade do Galo, o venezuelano é preparado para este momento.

Já são duas partidas pelo Atlético, ambas fora de casa e entrando no segundo tempo, contra São Paulo e Santos. No total foram 43 minutos. Pouco tempo em campo, mas o suficiente para dar um pouco mais de confiança ao jogador, como pensando no trabalho de adaptação.

"Contra o Santos eu entrei com mais confiança. Na primeira partida, contra o São Paulo, eu estava um pouco ansioso, era muito tempo sem jogar. Por isso, minha participação contra o Santos foi um pouquinho melhor. Lamentei a derrota, mas pouco a pouco vou ganhar essa confiança e logo estarei no meu melhor nível", disse o venezuelano.

E não é apenas com os costumes e a língua que existe uma preocupação no Atlético com a adaptação de Otero. Fora de campo o venezuelano tem se orientado com os demais estrangeiros do elenco alvinegro, como os argentinos Pratto e Dátolo e os equatorianos Erazo e Cazares. A língua já não é uma barreira tão grande. Com um mês de clube, Otero já entende melhor o português e também fala com mais facilidade.

Resta agora a adaptação ao futebol brasileiro. Emprestado ao Atlético pelo Huachipato, do Chile, o meia explica quais são as diferenças que encontrou dentro de campo. "É muito diferente o futebol brasileiro do futebol chileno. No Chile tem mais espaço, é mais tranquilo. Aqui é um jogo mais forte, de mais contato, e os times jogam muito bem. Acredito que falta pouco para minha adaptação. É ter confiança e fazer o melhor em campo".

Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro, e Ponte Preta, pela Copa do Brasil. São os dois próximos compromissos do Atlético e ambos em Belo Horizonte. Chance para Otero ser titular e ter uma sequência. Fred não pode jogar no Brasileirão por estar suspenso e na Copa do Brasil por já ter atuado por outra equipe. O centroavante jogou o torneio nacional pelo Fluminense.  

"Para a equipe é uma lástima que grandes jogadores como Rafael Carioca e Fred estejam fora. Mas é uma possibilidade que eu posso jogar. Estou motivado, desde quando cheguei, esperando minha oportunidade. Estou com muita vontade de jogar", disse Otero, que foi convocado para defender a Venezuela pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, nos jogos contra Colômbia e Argentina, na primeira semana de setembro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos