Inter pressiona, perde pênalti no final e busca empate contra o São Paulo

Marinho Saldanha e Pedro Lopes

Do UOL, em Porto Alegre e São Paulo

A fase do Internacional parecia não dar sinais de melhora. No Beira-Rio, os colorados conseguiram ir buscar um empate diante do São Paulo, depois de sofrerem gol de pênalti e lutarem contra uma retranca são-paulina. O Inter finalizou 25 vezes, contra apenas quatro dos paulistas – bem postada, a defesa são-paulina contou com boa atuação de Denis. Os gaúchos tiveram chance de virar o jogo quando também tiveram pênalti a seu favor. Batida por Valdivia aos 45 da segunda etapa, a bola foi para fora.

O empate marca a 13ª partida consecutiva sem vitória, o maior jejum da história do Internacional. É também a segunda partida sobre o comando de Celso Roth, terceiro comandante no Brasileirão, e que estreou perdendo para a Chapecoense. Com 23 pontos, o clube gaúcho corre risco de terminar a rodada na zona do rebaixamento.

O São Paulo, por sua vez, apesar da atuação apagadíssima na parte ofensiva, leva um ponto fora de casa na estreia de Ricardo Gomes, e chega aos 27, ainda no meio da tabela. A missão de aproximar do G4 segue distante , e Gomes terá trabalho para acertar o ataque.

Quem foi bem: Denis, São Paulo
O goleiro São Paulo apareceu em lances cruciais, com três grandes defesas consecutivas: Ariel bateu forte, de dentro da área, o goleiro espalmou; na sequência, cruzamento da esquerda, Paulão ficou cara a cara, outra defesa de Denis. Novo cruzamento e Eduardo Sasha mergulhou de cabeça, mas o são-paulino ainda apareceu outra vez. Boa atuação que evitou a vitória do Internacional.

Quem foi mal: Eduardo Sasha (Inter) e Buffarini (São Paulo)
O Inter teve mais posse de bola e finalizou mais de 20 vezes ao gol são-paulino, sem sucesso. Parte disso se deve à fraca atuação de seu ataque. Nico López pouco fez durante a primeira etapa, e foi sacado no intervalo. Eduardo Sasha tentou e se movimentou, mas desperdiçou chances importantes, e também acabou substituído. O São Paulo, por sua vez, quase levou a virada no final, em dois lances com participação direta de Buffarini: no primeiro, não saiu do chão e viu a bola passar para o gol de Ernando. No segundo, fez pênalti em Eduardo, mas, para sua sorte, Valdivia desperdiçou.

Sob nova direção
Tanto São Paulo como Internacional vivem momentos de começo de trabalho com novos treinadores. Os paulistas tiveram a estreia de Ricardo Gomes, mas o time ainda mostra muito do DNA de Edgardo Bauza: postura forte na defesa, ataque tímido, mas aproveitando as poucas oportunidades que cria – faltou entretanto, volume de jogo e iniciativa. Celso Roth fez sua segunda partida pelo Inter: seu time buscou o ataque, teve a bola, mas desperdiçou dezenas de finalizações - poderia ter vencido.

Estreantes melhoram o Inter. Mas não o suficiente
Dois estreantes em campo melhoraram o rendimento do Internacional. Ceará, pela direita, conseguiu vitória pessoal e bons cruzamentos. Foi com ele a principal jogada ensaiada do Colorado: a cobrança de lateral na área. Assim, ao menos cinco lances tentaram levar perigo ao gol de Dênis. Eduardo Henrique, por sua vez, errou alguns passes, mas teve rendimento melhor do que Fernando Bob no meio-campo do time vermelho.

São Paulo "desdentado", Inter não aproveita
O ataque do São Paulo começou a partida totalmente ineficiente: a bola não parava no pé dos homens de frente, e nenhuma jogada trabalhada aparecia. O time comandado por Ricardo Gomes só foi finalizar pela primeira vez aos 31 minutos – até então, o Inter já havia chutado sete bolas, mas sem precisão. A melhor chance foi aos 15 minutos, e terminou na boa defesa de Dênis.

Vacilo deu a vantagem aos visitantes
Se o Internacional era melhor, a primeira descida na área colorada rendeu frutos ao São Paulo: dentro da área, Paulão deslizou no carrinho e derrubou Hudson – Cueva bateu e colocou os paulistas na frente. Depois do gol, nos minutos finais da primeira etapa, o Inter tentou retomar o controle do jogo, e teve uma chance com Valdivia e Paulão, em bate-rebate, mas a bola foi para fora.

Metralhadora colorada, milagres são paulinos
A volta para o segundo tempo teve uma sequência de grandes oportunidades para o Internacional, em lances consecutivos: Ariel, de pé esquerdo; Paulão, de pé direito; Sasha de cabeça. As finalizações, todas de dentro da área, pararam em Denis, que fez grandes defesas. O quarto chute desviou em Lyanco, e ainda bateu na trave antes de sair.

Empate e quase virada
No finalzinho, a pressão colorada deu resultado: Ernando empatou aos 39 minutos. Aos 45, Buffarini cometeu pênalti e deu ao Inter a chance de ouro de sair com a virada e os três pontos: Valdivia correu para a cobrança e bateu forte, mas para fora. Final eletrizante, 1 a 1 no placar.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL x SÃO PAULO

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 21 de agosto de 2016 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Gilberto Rodrigues Junior (Fifa-PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (ambos de PE)
Gols: Cueva, 36'/1º (0-1); Ernando, 39'º/2ºT (1-1) 

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Ceará (Andrigo), Paulão, Ernando e Artur; Fabinho, Eduardo Henrique, Seijas e Valdívia; Eduardo Sasha (Willian) e Nico López (Ariel).
Técnico: Celso Roth.

SÃO PAULO: Denis; Buffarini, Maicon, Lyanco e Mena; João Schmidt; Kelvin (Wesley), Hudson (Carlinhos), Michel Bastos (Gilberto) e Cueva; Chavez
Técnico: Ricardo Gomes. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos