Palmeiras tropeça diante da Ponte e vê vantagem na liderança cair

Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras perdeu o conforto na liderança da Série A. Tudo graças a mais um tropeço da equipe no Allianz Parque. Na tarde deste domingo, a equipe de Palestra Itália - após sair em vantagem por duas vezes, - ficou apenas no empate por 2 a 2 com a Ponte Preta e perdeu a 'gordura' na ponta do Campeonato Brasileiro.

O terceiro tropeço palmeirense como mandante – antes desta tarde, a equipe perdeu para o Atlético-MG (1 a 0) e empatou com o Santos (1 a 1) – deixa a equipe comandada por Cuca com 40 pontos, apenas dois a mais do que o vice-líder Atlético-MG, que venceu o Atlético-PR pelo placar mínimo pela manhã.

O Santos poderia diminuir a vantagem para até um ponto, mas também tropeçou neste domingo. No encerramento da rodada, o clube da Baixada Santista perdeu por 2 a 1 para o Coritiba, no Couto Pereira, e permaneceu com 36 pontos.

Em compensação, a Ponte Preta segue na briga por um lugar no grupo dos quatro melhores da Série A. Sétima colocada, a equipe comandada por Eduardo Baptista chegou aos 31 pontos depois de 21 rodadas disputadas.

As duas equipes terão uma semana cheia para trabalhar antes do próximo compromisso. A Ponte Preta volta a jogar no sábado, às 16h (de Brasília), contra o Corinthians, em Campinas. O Palmeiras, por outro lado, vai até o Mané Garrincha para encarar o Fluminense, domingo, às 16h.

Quem foi bem: Róger Guedes

Definitivamente realçado ao posto de titular, Róger Guedes relembrou os melhores momentos deste Campeonato Brasileiro na tarde deste domingo. A disposição para a marcação aliada à potência ofensiva tornou o camisa 23 um dos destaques do jogo. O gol de Rafael Marques saiu dos pés do atacante, que fez bela jogada pela ponta direita antes de dar a assistência ao companheiro.

Quem foi mal: Cleiton Xavier

Uma tarde discreta do principal criador de jogadas do Palmeiras. Cleiton Xavier acabou anulado pelo sistema de marcação de Eduardo Baptista e pouco colaborou para o ataque palmeirense. Tanto que, aos 20min da etapa final, o meia deu lugar ao argentino Allione.

Aranha revê Palmeiras e tem falha decisiva

Depois de uma passagem discreta pelo Palmeiras, Aranha viveu uma tarde ruim. Uma falha manchou a atuação do goleiro no Allianz Parque. O ex-palmeirense errou o tempo em uma saída do gol e, caído no chão, viu Thiago Martins tocar de cabeça para anotar o segundo gol do time alviverde. 

Palmeiras: espaços no meio-campo a ajudam Ponte

O esquema com Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier no setor de meio-campo torna o Palmeiras uma equipe com mobilidade e versatilidade ofensiva. No entanto, neste domingo, a recuperação defensiva foi lenta e por muitas vezes expôs Thiago Martins e Vitor Hugo; este último, por exemplo, precisou de um desarme providencial em Thiago Galhardo para evitar uma real chance de gol campineira.

Ponte Preta: contra-ataques organizados mudam o jogo

O Palmeiras ameaçou controlar a partida por duas vezes: ambas nos momentos dos gols. Entretanto, a Ponte Preta se mostrou letal no Allianz Parque. A equipe campineira apostou nos contra-ataques e na exposição da zaga rival para complicar a partida; no segundo gol, por exemplo, William Pottker aproveitou-se de um espaço grande para vencer Egídio na corrida e empatar o duelo.

Cuca: opção por Rafael Marques

Rivaldo Gomes/Folhapress
Palmeiras teve a vantagem nas mãos por duas vezes

A escalação de Rafael Marques como referência no ataque permitiu a Dudu e Róger Guedes apresentarem-se no nível esperado pelo torcedor. Cuca apostou nos dois pontas para incomodar a defesa adversária, e o Palmeiras chegou a dois gols em lances originados dos pés da dupla. A defesa, contudo, ficou exposta; tanto que o comandante recorreu a Thiago Santos na etapa final.

Eduardo Baptista: paciência diante do líder

O treinador ponte-pretano apostou nos contra-ataques e na paciência para incomodar o Palmeiras no Allianz Parque. Deu certo. A Ponte insistiu nas jogadas em velocidade e decretou o resultado desta forma: a arrancada de William Pottker definiu o importante ponto para os visitantes.

Sem medo do Allianz Parque

A Ponte Preta atuou três vezes no Allianz Parque e pode se vangloriar de permanecer invencível. Antes do empate deste domingo, o clube campineiro vencera por duas vezes o Palmeiras na nova arena: 1 a 0 no Campeonato Paulista e no Brasileiro do ano passado.

Menino de ouro

Menos de 24h depois de conquistar o ouro olímpico com a seleção brasileira, Gabriel Jesus prestigiou o duelo deste domingo no Allianz Parque. De quebra, ainda recebeu uma homenagem do Palmeiras. O atacante apareceu no gramado durante o intervalo e exibiu a medalha para os torcedores. A rápida aparição serviu para reforçar ainda mais a idolatria do torcedor pelo camisa 33.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 2 PONTE PRETA

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 21 de agosto de 2016, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC)
Público: 29.138 pagantes
Renda: R$ 1.866.689,88
Cartões amarelos: Rafael Marques, Thiago Martins e Thiago Santos (PAL); Fábio Ferreira, Reinaldo, Nino Paraíba, Thiago Galhardo, Aranha e João Vitor (PON)

Gols:
PALMEIRAS: Rafael Marques, aos 15 minutos do 1º Tempo, Thiago Martins, aos 24 minutos do 2º tempo
PONTE PRETA: Wellington Paulista, aos 6 minutos do 2º Tempo, e William Pottker, aos 27 minutos do 2º Tempo

PALMEIRAS: Jailson, Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Allione); Roger Guedes (Thiago Santos), Dudu e Rafael Marques
Técnico: Cuca

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Douglas Grolli e Reinaldo; João Vitor, Wendel (Abuda) e Maycon (Thiago Galhardo); Clayson, William Pottker (Rhayner) e Wellington Paulista
Técnico: Eduardo Baptista

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos