Palmeiras defende procedimento sobre Arouca e diz: 'Não é doping'

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Fotoarena

    Arouca foi flagrado em exame antidoping realizado na partida contra o Internacional

    Arouca foi flagrado em exame antidoping realizado na partida contra o Internacional

O Palmeiras convocou uma entrevista no início da tarde desta quarta-feira para justificar o resultado positivo para o exame antidoping do volante Arouca, flagrado na partida contra o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro. Os médicos Rubens Sampaio e Vinícius Martins defenderam o clube pelo uso do medicamento e negaram o 'doping' do jogador.

"A conduta é médica, justificada e não é doping", sentenciou o Rubens Sampaio, o Rubão, que tratou de explicar o caso.

"Fomos comunicados ontem pela comissão de antidoping da CBF que o exame do Arouca testou positivo para uma substância 'triancinolona'. Estamos absolutamente tranquilos ao que causou esta notificação, porque temos tudo documentado devidamente no prontuário e calçado nos exames de imagem", acrescentou.

A segurança apresentada pelos médicos fará o Palmeiras sequer pedir a contraprova à comissão de doping da CBF; o ofício que abdica do novo exame será enviado ainda nesta quarta-feira.

José Edgar de Matos/UOL Esporte

Arouca receberá uma suspensão preventiva de 30 dias a partir do segundo comunicado da CBF, a ser enviado após a notificação do Palmeiras sobre a rejeição à contraprova.

"Fizemos uma infiltração com o medicamento Triancil, na caixa deste medicamento consta 'uso adulto e intra-articular'. É fundamental ressaltar o intra-articular, porque esta substância é dopante em alguns casos e em outros permitido", garantiu.

"O DM agiu de acordo com a ciência e regras do jogo, não deixamos ninguém levar vantagem. O uso de corticóide é permitido pela Wada, Fifa, talvez seja a melhor opção no caso e deve ser usado sem caracterizar nenhum dolo. Tudo está documentado, incluindo a infiltração e quando foi o dia", defendeu-se Rubens Sampaio.

O resultado positivo para o uso de substâncias consideradas doping ocorre pela segunda vez nesta temporada. Antes de Arouca, o atacante Alecsandro recebeu exame com agentes anabólicos no organismo. O veterano de 35 anos acabou suspenso por dois anos, em julgamento ocorrido em julho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos