Ataque de volta. Inter encontra dupla efetiva depois de seis jogos

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

Depois de se saciar com a vitória e o retorno da confiança, o Internacional olhou de novo para a vitória de 3 a 0 em cima do Fortaleza, pela Copa do Brasil, e enxergou mais um motivo para se animar. O ataque, formado por Nico López e Aylon, quebrou um jejum particular e voltou a funcionar.

Nas seis partidas que antecederam o jogo de ida das oitavas de final, seis ataques diferentes tentaram e não conseguiram marcar. As formações variaram com Vitinho, Ariel Nahuelpan, Valdívia, Nico López e Eduardo Sasha. Aylon, autor de dois gols, sequer havia entrado no segundo tempo.

Contra o Fortaleza, o camisa 18 marcou duas vezes. E depois de 80 dias de seca. O rendimento, mesmo com as ressalvas necessárias para o adversário, rendeu até confirmação dele e de Nico López contra o Santos, na retomada do Brasileirão.

"Vocês são testemunhas que Nico e Aylon foram bem. Fizeram uma partida muito boa", elogiou Celso Roth. "Aylon e Nico se completam, formaram uma grande dupla", concordou Fernando Carvalho, vice de futebol.

O gol de Aylon, após bom cruzamento de William aos 10 minutos, tirou um peso das costas de todo o time. O chute de Nico López, perto do intervalo, dobrou a vantagem e o alívio.

"Dá um alívio, claro. Até para o pessoal da frente arriscar mais, tentar mais. Foi uma ótima vitória também nesse sentido", disse o zagueiro Ernando. "Era importante vencer, não levar gols. E jogamos bem. O ataque fez gols e se falou muito disso nos últimos dias", completou Seijas.

Os comentários eram em cima do jejum do ataque: seis partidas sem marcar. O último gol de um atacante, de fato, havia sido contra a Ponte Preta, no empate em 2 a 2. De lá para cá, só meias ou zagueiros anotaram. Além de gols contras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos