Palmeiras se blinda contra discurso de favoritismo diante de crise do SP

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Tchê Tchê adotou um discurso bem ponderado às vésperas do duelo com o São Paulo

    Tchê Tchê adotou um discurso bem ponderado às vésperas do duelo com o São Paulo

Líder, prestigiado pelos torcedores até nos treinos e em boa fase. O Palmeiras possui todas as características de um favorito a um dia do clássico contra o turbulento São Paulo, que sofreu até com invasão no CCT da Barra Funda recentemente. No entanto, na Academia de Futebol, este discurso - facilmente confundido com prepotência - está proibido.

Durante toda a preparação, a ideia de que 'clássico é clássico' recebeu destaque. Nesta terça-feira foi a vez do meio-campista Tchê Tchê segurar o ímpeto diante dos microfones e evitar qualquer declaração cabível de uma má interpretação do lado rival.

"Tem que prestar bastante atenção no que vai responder. Dependendo do que a gente falar, isso pode se transformar em uma arma para o adversário", destacou o camisa 32..

"Temos que entrar focados, vamos respeitar bastante o São Paulo e jogar. (...) Esperamos muita dificuldade", afirmou o meio-campista.

O Palmeiras possui, nos números, a credencial de favorito. A equipe alviverde soma 43 pontos e ocupa a liderança do Campeonato Brasileiro depois de 22 rodadas disputadas, enquanto o São Paulo é apenas o 12º colocado com 28 pontos.

"O respeito é pregado em todas as partidas, contra todas as equipes. Não temos que nos preocupar com o que as equipes podem oferecer de perigo, mas sim com o desempenho que a gente pode ter", acrescentou Tchê Tchê, devidamente preparado para evitar qualquer 'munição' ao time tricolor.

"É um clássico de uma grandeza enorme. A equipe que vencer ganhará uma grande moral, será um jogo muito difícil", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos