Irregular, Geferson leva puxão de orelha no Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeremias Wernek/UOL

    Geferson vive instabilidade no elenco do Inter e leva puxão de orelha de Roth

    Geferson vive instabilidade no elenco do Inter e leva puxão de orelha de Roth

Geferson é uma incógnita no Inter. O jogador que surgiu bem e chegou a ser chamado para a seleção brasileira por Dunga é o mesmo que hoje oscila no time e já foi reserva por um bom tempo. Contra o Santos, uma nova falha gerou reclamações de Celso Roth. 
 
"O Geferson teve participação efetiva no gol (de Seijas). Então isso faz com que ele retome toda a tranquilidade para poder seguir jogando. Ele é um jogador que precisa saber, ele que é jovem, já teve possibilidade na seleção brasileira, mas que errar em um momento destes é complicado. Falamos agora há pouco: agradece, agradece a Deus se és católico ou à religião que tem, porque não é todo mundo que tem uma segunda chance", explicou o treinador do Inter. 
 
Geferson errou um passe simples para o meio. Deu no pé de Ricardo Oliveira que concluiu para o gol do Santos. Para sorte dele, o Colorado virou o jogo. 
 
Logo depois da falha, a torcida vaiava a cada toque seu na bola. Mas percebendo o nervosismo do atleta, os aficionados começaram a aplaudir quando ele foi acionado. Deu certo, o jogador recuperou a confiança e acabou fazendo uma partida regular. 
 
Só que o Internacional está cansado de falhas em momentos decisivos. Geferson já tinha errado na semifinal da Libertadores do ano passado, quando fez um gol contra diante do Tigres, no México, no jogo que simbolizou a desclassificação da equipe. E também repetiu atuações ruins quando acionado - depois de um bom tempo lesionado. 
 

Substituição também é problema

Só que para trocar Geferson, o Colorado esbarra em outro problema. Arthur é o suplente imediato e também não jogou bem quando recebeu oportunidades. Chegou a ser perseguido pela torcida, que vaia seu nome quando anunciado no sistema de som do Beira-Rio, mesmo na reserva. 
 
Raphinha, alternativa que vem logo a seguir, chegou a ser testado mas da mesma forma não mostrou o melhor. A única opção que se apresenta de forma imediata é a improvisação do lateral direito Ceará ou mesmo do meia Alex. Mas nenhuma das duas é considerada boa opção pelo comando técnico. 
 
Contra o Atlético-PR, no domingo, deve ser Geferson o lateral esquerdo. A tendência aponta para a manutenção da base do time que venceu o Santos e quebrou um jejum de 14 partidas sem vitória do Colorado. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos