Santos quebra 'escrita' contra o Corinthians e dá força a Dorival no cargo

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

A vitória do Santos diante do Corinthians por 2 a 1, de virada, neste domingo, na Vila Belmiro, não serviu apenas para o time encostar no G-4 do Campeonato Brasileiro. O resultado diminui uma sina negativa contra o rival. Nos últimos sete duelos entre os clubes em Brasileiros, a equipe santista só havia vencido uma vez. Caso perdesse o clássico, o aproveitamento seria de 20,8%, mas com a vitória subiu para 41,6%.

Além disso, a vitória serviu para fortalecer o técnico Dorival Júnior no cargo. Antes da virada contra o Corinthians, o Santos perdeu os últimos três jogos para equipes da zona de baixo da tabela – Coritiba, Figueirense e Internacional. Soma-se ainda a derrota para o América-MG, último colocado, na virada do returno.

O presidente Modesto Roma gosta bastante do trabalho de Dorival, mas alguns dirigentes e conselheiros já contestavam o desempenho do treinador.

O volante Renato, capitão do time e autor do gol da vitória contra o Corinthians, não aprova as especulações e saiu em defesa de Dorival após a vitória no clássico.

"Treinador sensacional. Eu tive a oportunidade de trabalhar com ele ano passado. No Brasil, a culpa sempre cai no treinador. É uma cultura daqui. O Falcão foi demitido com cinco jogos no Inter, os treinadores não conseguem fazer seu planejamento. Infelizmente a cultura aqui é assim. É um treinador (Dorival) que joga para cima, inteligente, fez curso lá fora (Europa). Quando a gente não ganha, os resultados caem em cima do treinador, os torcedores sempre vão cobrar", disse Renato.

Dorival teve participação direta na vitória do Santos contra o Corinthians. Quando a equipe ainda perdia por 1 a 0, ele sacou o volante Thiago Maia, mal no jogo, e colocou o argentino Vecchio. Com isso, o time passou a jogar com três armadores – Vecchio, Jean Mota e Vitor Bueno – e dois atacantes Copete e Rodrigão. Renato jogou sozinho como volante e ainda teve liberdade para ir ao ataque e fazer o gol da vitória.

Além disso, Dorival trocou Daniel Guedes por Caju e deslocou Zeca para atuar na lateral direita. Após o jogo, o treinador explicou mais uma alteração que deu certo em busca da virada.

"Mudamos o Zeca de lado e tentamos uma dobra do Caju com o Copete, dificultando a marcação do Fágner. Daniel fez boa partida, mas vinha há muito sem atuar e era natural uma caída. As coisas se encaixaram. Mesmo na bola parada, Caju movimentando o primeiro pau, foi onde a bola passou para o gol do Renato", disse.

Apesar de a vitória santista ocorrer com o seu "dedo", Dorival foi humilde no discurso ao falar sobre o assunto e a reação da equipe santista no Brasileiro.

"Não tem recado, não tem nada. Deixamos pontos atrás, mas procurando o gol, tentando as vitórias. Precisamos de recuperação. Foi pior momento nosso no Brasileirão e tivemos boa reação. Enfrentamos adversário dificílimo, que exigiu muito, e foi um grande jogo. Espero que daqui para frente possamos ter uma sequência mais positiva. Precisamos de todos prontos e preparados. Os que ficaram fora voltam daqui a pouco com muita força", concluiu. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos