Marcelo admite incômodo com ausência de Dátolo: "Cada hora diz uma coisa"

Do UOL, em Belo Horizonte

Dátolo participa normalmente das atividades do Atlético-MG desde 28 de julho. O meia-atacante, no entanto, não entrou em campo neste período. Relacionado para o jogo contra o Vitória, na quarta-feira passada (07), ele pediu ao técnico Marcelo Oliveira para não atuar, alegando insegurança. A situação do jogador incomoda o treinador.

Após a derrota para o Fluminense, por 4 a 2, nessa segunda-feira (12), no estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, o treinador fez uma análise do caso vivido pelo argentino na Cidade do Galo. Embora negue que o camisa 10 esteja de saída, o comandante explica que a situação é confusa.

"Até uma boa oportunidade para esclarecer (a situação do Dátolo). Esse negócio está ficando chato, porque parece que tenho algo contra o Dátolo ou que ele está fazendo indisciplina, ou que a diretoria queira vendê-lo. O jogador não está aqui porque não está com a cabeça boa. Ele fala cada hora uma coisa", afirmou Oliveira.

"Durante o jogo contra o Vitória, eu queria colocá-lo por 30 minutos. Do nada, ele disse que não estava bem e disse que estava inseguro. Estamos esperando ele ficar seguro. Como vou colocar um jogador que não está bem fisicamente e não se sente pronto para entrar no jogo? Não tem como, temos que aguardar", acrescentou.

O curioso é que Dátolo vem treinando com os demais companheiros de elenco há 47 dias. Contudo, devido à sua insegurança, segundo a comissão técnica, o jogador ainda não atuou. No jogo diante do Fluminense, no Rio de Janeiro, ele nem sequer foi relacionado.

Com contrato até dezembro deste ano, o meia-atacante esteve recentemente na pauta do São Paulo. Desde a chegada de Marco Aurélio Cunha ao clube, todavia, o nome do estrangeiro perdeu força.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos