Clima tenso em dérbi: torcida xinga presidente, técnico e depreda estádio

Danilo Lavieri e José Edgar Matos

Do UOL, em São Paulo

Embora o clássico deste sábado tenha sido de torcida única em Itaquera, o clima da arena não foi nada amigável. O jogo entre Corinthians e Palmeiras foi marcado por briga de torcedor com a PM, xingamentos contra árbitro, técnico e até diretoria.

Ainda antes de a bola rolar, o primeiro alvo do dia foi Cristóvão Borges. O técnico teve seu nome bastante vaiado quando a escalação alvinegra foi anunciada no sistema de som e nos telões do estádio.

Assim que a bola rolou e o Palmeiras abriu o placar, o ânimo da torcida alvinegra só piorou. Parte da torcida começou a reclamar da equipe e foi repreendida pelo presidente corintiano, Roberto de Andrade, que estava em um dos camarotes do estádio.

O dirigente reclamou e recebeu como uma resposta uma sonora vaia. Os corintianos esqueceram o jogo, viraram de costas para o gramado e passaram a xingar o cartola. Heber Roberto Lopes, outro que foi xingado durante os 45 minutos, encerrou a partida e deu o início a mais vaias para os atletas. 

No intervalo, o alvo da vez foi a Polícia Militar. Os torcedores organizados se revoltaram contra os policiais pela tentativa de retirar uma faixa. Um pequeno grupo desceu as escadarias em direção do campo e quebrou uma proteção de acrílico que separa o gramado das arquibancadas.

Para evitar invasão, os policiais ocuparam o local e observaram a ação da torcida, que se acalmou alguns minutos depois.

Mais no final da partida, integrantes de uma das organizadas do Corinthians entraram em confronto com a PM depois de tentarem invadir a área em que fica o camarote da presidência do clube.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos