Retiro no interior e choro de volante: os bastidores da vitória palmeirense

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Cesar Greco/Fotoarena

A vitória do Palmeiras sobre o Corinthians, na Arena, não se iniciou aos 5min da primeira etapa, quando Moisés balançou as redes do goleiro Cássio. O clube alviverde traçou um planejamento especial para alcançar o resultado esperado (2 a 0) no clássico do último sábado, e o elenco tratou de valorizar esta logística.

Dois fatores diretos contribuíram para a equipe comandada por Cuca reencontrar o futebol maduro e de líder do Campeonato Brasileiro: dois dias fora da rotina na capital paulista e um vídeo capaz de arrancar até lágrimas do elenco.

Depois de uma atuação preocupante na 'final' contra o Flamengo (1 a 1), na qual Cuca atestou o nervosismo do elenco diante da pressão sofrida, o Palmeiras viajou ainda na madrugada de quarta-feira para Atibaia, onde trabalhou na quinta e sexta-feira.

O retiro no interior de São Paulo serviu para a comissão técnica trabalhar os jogadores por 48h. Além dos trabalhos no campo, atividades de interação com todo o elenco – apenas o lesionado João Pedro não viajou – marcaram a curta passagem do Palmeiras no luxuoso hotel.

"Fizemos uma interação com os meninos, com atividades valendo prêmios, um bingo. Todos participando juntos, alimentando-se juntos, falando de futebol e sobre outros assuntos", detalhou o técnico Cuca, que enxergou na ida ao interior uma oportunidade de reforçar a confiança do elenco.

"Ganhamos uma energia que temos que ter. Ali a gente não consegue dar uma tranquilidade, mas conseguimos tirar uma pressão dos meninos. Perguntei para eles depois do jogo contra o Flamengo: 'por que essa pressão se estamos no primeiro lugar?'", acrescentou Cuca.

A viagem serviu para o elenco se reencontrar, se entrosar ainda mais e recuperar uma confiança abalada depois de dois empates. "Em muitas vezes, o melhor treino é um bom diálogo. Eles são jogadores inteligentes e absorveram muito bem", elogiou Cuca.

Unidos após dois dias intensos em Atibaia, o elenco do Palmeiras ganhou um componente a mais de motivação no último papo antes da partida. O período longe da família, difícil para a maioria, significou uma palestra certeira comandada pelo técnico Cuca.

Além das palavras, o treinador palmeirense exibiu um vídeo com mensagens de familiares. Chamou a atenção, por exemplo, a filha do meio-campista Moisés  - destaque do dérbi – cantando o hino da equipe. Alguns choraram, outros seguraram a emoção para depois da partida.

O volante Thiago Santos, que entrou na segunda etapa, deixou o gramado da Arena Corinthians aos prantos. O pai do jogador se encontra internado, e as lembranças deste momento difícil, reforçadas pelo vídeo com os familiares antes do jogo, vieram à tona.

Esse turbilhão de emoções vividas nos últimos dias resultaram no importante triunfo na Arena, na análise do próprio Cuca, que aproveitou a entrevista pós-clássico para filosofar.

"A nossa vida é fora de casa. Jogar futebol é uma delícia, mas a vida profissional é muito dura. Você não vive na tua cidade, ganha-se bem, mas em um período da vida. Tudo isso foi posto na preleção. A filha do Moisés cantando o hino arrepiou todo mundo. Tivemos alegria de jogar, tínhamos que tirar essa ansiedade e fomos muito bem", encerrou o treinador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos