Denúncia ignora provocações da diretoria do Fla relatadas por palmeirenses

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Sergio Ortiz/Forza Palestrina

    Dirigentes do Flamengo provocam torcedores do Palmeiras no Allianz Parque

    Dirigentes do Flamengo provocam torcedores do Palmeiras no Allianz Parque

A próxima segunda-feira marcará mais uma disputa entre Palmeiras x Flamengo. Pela manhã, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) divulgará a denúncia contra o clube de Palestra Itália, em virtude do comportamento dos torcedores contra os diretores flamenguistas. O UOL Esporte teve acesso ao processo, que ignora alguns fatos ocorridos no caso.

Autor da denúncia, o procurador Alamiro Velludo Salvador Netto se baseia em uma nota do site globoesporte.com para justificar o pedido de punição ao Palmeiras. O relato do vice-presidente de administração do Flamengo, Rafael Strauch, também consta no documento.

"Nós fomos hostilizados todo jogo porque o camarote que nos deixaram era em cima da organizada do Palmeiras. Após o empate, eles ficaram ainda mais nervosos, mais ouriçados. No fim, viram que a gente se confraternizou e jogaram mais objetos, jogaram gelo, isqueiro, sapato, uma série de coisa [...]", declarou ao portal.

Reprodução

Ao relatar o caso, no entanto, o procurador não apresenta outros elementos ocorridos durante a partida. Na própria nota utilizada como base para a denúncia, pontos de vista dos torcedores são destacados.

No mesmo evento do empate por 1 a 1 entre palmeirenses e flamenguistas, em 14 de setembro, torcedores localizados logo abaixo do camarote destinado à diretoria do clube carioca filmaram provocações de Eduardo Bandeira de Mello e dirigentes.

Reprodução

Palmeirenses também relatam nas redes sociais o arremesso de pedras de gelo do camarote para o setor sul. Um vídeo mostra Bandeira de Mello discutindo com os torcedores durante a partida.

 

Estas situações estão devidamente tratadas na nota responsável pela base da denúncia. Contudo, não entraram como contrapartida no pedido de punição ao Palmeiras no artigo 213, inciso 1 – deixar de tomar providências capazes de prevenir desordens em sua praça de desporto.

Procurado para comentar sobre o assunto, o procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua não foi encontrado até o fechamento da reportagem [fim da noite de sexta-feira]. O Palmeiras, em contrapartida, optou por não se pronunciar.

Terceiro e indireto interessado, já que é apontado como vítima do caso, o Flamengo foi procurado pela reportagem na noite de sexta-feira para emitir uma opinião sobre o assunto. O UOL Esporte, entretanto, não recebeu resposta sobre esta consulta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos