Quase 900 minutos sem gol: queda de Luan atrapalha arrancada do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Eram sete minutos do segundo tempo do duelo contra o Atlético-MG, em 28 de julho. Luan bateu da entrada da área, a bola desviou na zaga e encobriu o goleiro Uilson. Foi o último gol do camisa 7. Desde lá, quase 900 minutos de bola rolando se passaram sem que o artilheiro do Grêmio voltasse a balançar as redes. E seus gols estão fazendo falta. 

Contra o Cruzeiro, no sábado, ele teve uma chance clara na etapa inicial. Entrou cara a cara com o goleiro rival, tentou encobrir e colocou para fora. No segundo tempo os mineiros usaram uma cobrança rápida de escanteio para marcar o gol da vitória. 
 
A queda de rendimento de Luan é comprovada por números. Foram exatamente 848 minutos sem marcar. Nove partidas inteiras e mais 38 minutos de bola rolando contra o Galo. 
 
E o quadro preocupa ainda mais se forem analisados jogos anteriores. Nos últimos 17 , Luan marcou apenas um gol. Até o feito contra o Galo, ele vivia seis partidas de jejum com a camisa gremista. A série foi: Vitória, Atlético-PR, Santos, Inter, Figueirense e Sport. Depois, Luan foi para Olimpíada e ficou fora das partidas contra São Paulo, América-MG, Santa Cruz, Corinthians, Flamengo e Atlético-PR (Copa do Brasil). Marcou contra o Galo, e vive novo período sem gols em confrontos com Botafogo, Coritiba, Palmeiras, Ponte Preta, Fluminense, Atlético-PR (Copa do Brasil), Chapecoense, Palmeiras (Copa do Brasil) e Cruzeiro. 
 
Neste período ele trocou duas vezes de posição. Era 'falso 9' com Roger Machado, virou meia aberto pela direita com Renato Gaúcho e agora voltou a ser o principal atacante do time jogando como centroavante fixo. Mas o belo futebol apresentado nos Jogos Olímpicos que despertou interesse de clubes como Barcelona e fez o Grêmio estipular seu preço em aproximadamente R$ 130 milhões não foi repetido. 
 
"Não dá para desperdiçar chances. Quando aparece, tem que fazer o gol, porque o adversário não vai ter pena de você", disse o técnico Renato Gaúcho depois do jogo com o Cruzeiro. 
 
E a queda de rendimento de Luan se confunde com o fracasso do Grêmio no objetivo de brigar pelo título brasileiro. Antes da Olimpíada, o discurso era de tentar uma arrancada que levasse às primeiras posições. O duelo contra o Palmeiras no nacional era eleito como 'momento de ultrapassar' o time que já liderava o nacional. Nada disso aconteceu. Pelo contrário, o Grêmio parou na competição, deixou até o grupo de classificados para a próxima Libertadores, trocou de treinador e agora ensaia priorizar a Copa do Brasil como última chance de encerrar o incômodo período sem títulos. 
 
A próxima partida do Grêmio será diante do Vitória, na quarta-feira, em Salvador. A delegação gremista nem voltará a Porto Alegre, mas irá diretamente de Belo Horizonte até a capital baiana para o duelo. Suspenso, Luan está fora do jogo e não terá oportunidade de romper sua marca negativa. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos