Lei do ex funciona? Velho conhecido do São Paulo é arma do Sport em duelo

Luis Augusto Simon

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Andre Yanckous/AGIF

    Rogério ficou nove meses no São Paulo; hoje, reforça o Sport

    Rogério ficou nove meses no São Paulo; hoje, reforça o Sport

O São Paulo enfrenta o Sport, nessa quarta (5), às 21h45 (de Brasília). Um jogo de "seis pontos" entre duas equipes que lutam para se afastar da briga contra o rebaixamento. O último jogo deste tipo do São Paulo. E o adversário tem como arma um jogador que estava no time tricolor até junho e que ficou nove meses no clube: Rogério. Além do atacante, o rival conta com outros dois atletas que o clube paulista sonha para 2017: Renê e Rithely.

Dos três adversários, quem assusta mais é Rogério. Além de estar em alta no time pernambucano, os jogadores tricolores creem que o atacante terá uma motivação extra por estar diante do ex-time. "Todo jogador que enfrenta o ex-clube mostra mais vontade e tem um rendimento melhor. O Rogério não é diferente e vai lutar muito", diz o capitão Maicon, que volta a time, após contusão. Ele chegou a ter um atrito com Rogério em uma das partidas. O motivo foi um chute do atacante. Maicon preferia um passe.

Kelvin foi outro que elogiou muito Rogério durante a semana. "Um jogador de muito bom nível e que tem ótima finalização. Nós precisamos marcar em cima".

Quando deixou o clube, Rogério alegou "questões particulares" mas elas, na verdade, eram bem públicas. Ele queria jogar pelo lado do campo, mas Edgardo Bauza queria que ele jogasse centralizado. Hoje, é assim que jogará à frente de uma linha de meias formada por Everton Felipe, Diego Souza e Gabriel Xavier.

A verdade é que, hoje, a comissão técnica, analisa que Rogério faz muita falta. Seria titular no time que fez apenas 27 gols em 28 jogos do Brasileiro.

Possíveis chegadas em 2017

Ao vender 25% dos direitos de Rogério – em junho de 2017 ele deve  voltar ao clube – e emprestar Auro – não pôde ficar no Sport porque já havia defendido dois clubes no ano – o São Paulo conseguiu preferência do time pernambucano pela contratação de Renê e de Rithely.

Renê, depois de uma boa temporada, caiu muito. Só joga nesta quarta-feira pela ausência de Rodney Wallace, atacante costarriquenho que tem jogado na lateral esquerda e foi convocado para a seleção de seu país.

Rithely é o grande jogador do Sport. Tem 25 anos, 280 jogos e 24 gols marcados. E uma multa de R$ 20 milhões, defendida até o fim pelo Sport.

Armas para vencer o Sport

Como antídoto para enfrentar quem já esteve e quem pode chegar no futuro, Ricardo Gomes deve recorrer a Carlinhos e Michel Bastos. A dupla não deve continuar no clube ao final do ano. Os dois e mais Wesley são chamados, à boca pequena por pessoas de dentro do clube, de "cansados".

Ricardo Gomes terá os desfalques de Cueva e Mena, convocados respectivamente por Peru e Chile e de Wesley, suspenso. Há quatro jogadores para as três vagas: João Schmidt, Jean Carlos, Carlinhos e Michel Bastos.

Carlinhos vai jogar na lateral ou aberto, pela esquerda, na segunda linha. Se for lateral, Michel Bastos entra. Se for meia, Matheus Reis entra. Se optar por uma formação mais defensiva, Ricardo escalara João Schmidt ao lado de Hudson e Thiago Mendes. Se quiser ser mais ofensivo, entra Jean Carlos, que estrearia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos