Renato troca posições, muda marcação e reinventa o Grêmio em 17 dias

Do UOL, em Porto Alegre

Renato Gaúcho assumiu o Grêmio há exatos 17 dias. E mesmo em pouco tempo, com raros momentos para treinar, já mostrou mudanças consideráveis no time. Trocando posições de jogadores, sistema de marcação e funções em campo, o ex-camisa 7 reinventou a equipe que sonha com a Libertadores. 

No 1 a 0 sobre o Vitória, quarta-feira (5), em Salvador, uma das alterações foi evidente no segundo tempo. Quando Everton se apresentou para entrar, a saída mais simples seria sacar Pedro Rocha, com o rápido atacante que volta de lesão sendo utilizado pelo lado do campo, como era com Roger Machado. Mas não, o eleito foi Henrique Almeida com Everton atuando centralizado. E isso será regra. A posição do jovem de 20 anos mudou. 
 
"O Everton teve muito tempo parado. Coloquei contra o Cruzeiro e sabia que ele iria tropeçar nos próprios pés por causa da falta de ritmo de jogo. Hoje foi bem melhor. Pedi para o Alexandre (Mendes, auxiliar técnico) falar com ele antes da partida e ver como se sente melhor jogando. E quando chegou no clube, atuava por dentro, e é assim que quero que ele jogue. É inteligente, rápido, e assim rende mais. Vamos colocar o Everton numa nova posição. Uma nova postura em campo. E tenho certeza que não só hoje, mas 100% vai render ainda mais", disse. 
 
A troca no posicionamento de Everton foi apenas uma das alterações de Renato Gaúcho. Douglas, que com Roger Machado estava atuando quase como atacante, lado a lado com Luan mais perto do gol adversário, foi recuado. Agora se movimenta mais em diagonal e trata de ditar o ritmo do setor ofensivo do time. 
 
"Um jogador que atua com a cabeça em pé, é inteligente, não se pode tirar a característica dele. Se você o avança, ele joga de costas para o gol adversário, vai produzir muito pouco. Quando sai em diagonal, como tem feito nos jogos comigo, foi muito bem. São poucos clubes no Brasil que tem um meia tão bom e inteligente quanto o Douglas. Já trabalhei com ele alguns anos atrás. É diferenciado. Com jogador assim, não se tem que inventar. Tem que dar a camisa para ele, pedir para jogar como gosta, e fazer o time jogar. Dar responsabilidade, e fazer isso. Como fizemos", disse. 
 
Por fim, Renato acredita que resolveu os problemas da bola aérea defensiva do Grêmio, que deixou de vazar repetidamente como durante toda a temporada, através de uma troca de postura na marcação. E até na hora de cobrar, a saída do sistema 'por zona' para a utilização do 'homem a homem' é aliado do comando. 
 
"Não gosto de marcação por zona. Gosto de homem a homem, e temos feito isso desde minha chegada. Cada jogador meu sabe quem tem que marcar, e definimos isso na preleção. E tem que correr até o fim contra o adversário. Quando é por zona, toma o gol, não dá para cobrar de ninguém. Quando individualizo, se o adversário faz gol, temos de quem cobrar e é por mérito. É homem a homem, e os jogadores também gostam disso. Cada um tem sua responsabilidade. Tem dado certo. Quando cheguei ouvi algumas críticas sobre a defesa do Grêmio na bola aérea. Não estou falando que o Grêmio não vai tomar mais gols de cabeça, mas melhorou muito. É mérito dos jogadores", simplificou. 
 
Renato Gaúcho comandou o Grêmio por cinco jogos, venceu três, perdeu dois. O próximo compromisso será contra o Atlético-PR, na quinta-feira, na Arena. De volta a Porto Alegre, o Tricolor tem o goleiro Marcelo Grohe como dúvida para a partida, por conta de uma fascite plantar no pé esquerdo. Maicon deve ficar à disposição. Luan e Marcelo Oliveira são retornos garantidos. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos