Defesa do Cruzeiro evolui e sai ilesa por duas vezes seguidas após 35 jogos

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Yuri Edmundo/Light Press/Cruzeiro

    Atual titular Rafael nem estava no gol quando o Cruzeiro passou dois jogos sem ser vazado

    Atual titular Rafael nem estava no gol quando o Cruzeiro passou dois jogos sem ser vazado

Apesar de ainda não estar totalmente satisfeito com o desempenho do Cruzeiro neste Brasileirão, o técnico Mano Menezes já vê em campo uma evolução notória da equipe. Desde que chegou ao clube, há dois meses, o comandante dificilmente teve tempo para trabalhar sem a pressão e ameaça do rebaixamento. Por isso, foi preciso "trocar o pneu com o carro em movimento".

Para acertar o time com o campeonato rolando, o treinador priorizou a segurança defensiva, e hoje já colhe os primeiros frutos. A vitória por 2 a 0 contra a Ponte Preta representou não só a escalada para o 12º lugar na tabela, mas a prova de ter hoje uma defesa mais sólida e que voltou a sair ilesa por duas vezes consecutivas após 35 jogos no ano.

A última vez que o Cruzeiro passou dois jogos sem levar gols aconteceu lá no início da temporada. Dividindo as atenções do Campeonato Mineiro com a Copa do Brasil, o time empatou sem gols diante do América-MG (na semifinal do estadual) e do Campinense (primeira fase do torneio mata-mata). Ambos os jogos aconteceram no final de abril, há quase seis meses. Antes do duelo contra a Ponte, a equipe jogou por 35 vezes e não conseguiu sair de campo por duas ocasiões seguidas sem ser vazado.

"Melhoramos o entendimento em campo, fechamos o segundo jogo sem sofrer gols. Se der uma olhadinha para trás, vamos ver que há muito tempo isso não acontecia. Isso vai dando confiança para a defesa e para os atacantes, que não vão precisar fazer três gols para ganhar um jogo. O torcedor vai sentindo que a equipe não sofre tanto. Ganhamos de 2 a 0, o segundo gol demorou um pouco para sair, mas a Ponte quase não chegou ao gol do Rafael", falou o treinador.

Além de não sofrer gols nos últimos dois jogos, a evolução defensiva do Cruzeiro também pode ser comprovada nos números gerais desde a chegada de Mano. Até aqui, o Cruzeiro levou 14 gols em 13 partidas sob o comando do treinador. A média de 1,07 tentos é bem superior aos 1,73 do antecessor de Paulo Bento, que esteve à frente do clube por quase o mesmo tempo (15 partidas).

"A produção da equipe, a maneira como ela estava se comportando, trabalhando, me fazia acreditar que teríamos desempenho melhor", acrescenta Mano.

Mais seguro, com jogadores auxiliando nas marcações e saídas de bola, além de um jogo coletivo e menos dependente das individualidades, os jogadores terão outra prova de fogo. Passada a Ponte Preta, o desafio agora será contra o melhor ataque do Brasileirão. Na quinta-feira, o time vai a Araraquara tentar bater de frente e parar o líder Palmeiras, o único que até agora já bateu a marca de 50 gols no campeonato.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos