Tempo e conversa. Como Mano "resgatou" confiança da dupla que vale R$30 mi

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Juliana Flister/Light Press/Cruzeiro

    Cruzeiro preparou uma festa em campo para apresentar dupla de R$30 milhões

    Cruzeiro preparou uma festa em campo para apresentar dupla de R$30 milhões

Sem balançarem as redes nas últimas semanas, a dupla Ábila e Sóbis já começava a ser questionada no Cruzeiro.

Os recentes gols perdidos pelo argentino e as atuações abaixo do esperado por parte do brasileiro não só renderam alguns tropeços do time, mas também críticas ao desempenho dos jogadores. Foi então que Mano Menezes entrou em cena. Sem sacá-los do time ou puni-los de alguma forma, o treinador preferiu resolver tudo na conversa e dar tempo. E o resultado dessa confiança depositada foi visto no último sábado. Protagonistas na vitória por 2 a 0 diante da Ponte Preta, a dupla voltou a jogar bem e resgatou o bom futebol que fez o Cruzeiro desembolsar R$ 30 milhões para contratá-los.

Autor de dez gols pelo Cruzeiro, Ábila já é o artilheiro do time neste Brasileirão. O faro de goleador caiu facilmente nas graças da torcida quando o atacante marcou por seis partidas seguidas no campeonato. Porém, desde o clássico contra o América, há um mês, Ábila não comemorava um tento. Além disso, perdeu oportunidades claras contra Atlético-MG e Flamengo que custaram pontos ao time. Em momento semelhante, Sóbis também atravessou uma fase instável. Seus três gols no Brasileiro foram marcados todos contra seu ex-time, o Internacional, ainda no início de agosto. Depois disso, oscilou em campo e ainda ganhou a forte concorrência de Elber e Alisson.

Ambos estavam em "baixa" antes da partida contra a Ponte, mas a insistência de Mano nos momentos de instabilidade contribuiu para o retorno das boas apresentações. Da dupla, saiu o primeiro gol do jogo, em uma jogada que misturou a raça de Sóbis com o talento matador de Ábila.

"Eu vejo isso com tranquilidade. Eles podem jogar mal, como outros também podem. Às vezes você não faz uma atuação boa. Mas cabe ao técnico, dentro de um limite, passar segurança para os jogadores. Se a cada momento que não forem bem, o treinador vai e tira, ele perde um atleta. Não posso perder um jogador, tenho que ganhar. Já ganhamos Elber, Alisson e assim vamos fazer o Willian voltar a marcar", comentou Mano, citando outro jogador atualmente em baixa. Reserva de Ábila, Willian foi um dos destaques da reação celeste do ano passado, ainda na primeira passagem de Mano.

Sóbis e Ábila chegaram ao Cruzeiro no início do julho como grandes nomes da janela de transferências internacional. Depois de um primeiro turno ruim, a ameaça iminente de rebaixamento forçou a diretoria a abrir os cofres. Para evitar um possível vexame, o clube pagou R$16,6 milhões ao Tigres para repatriar o brasileiro. Já para ficar com o argentino, desembolsou R$13,5 milhões ao Huracán. Até o momento, cada um atuou por 18 vezes no time. O centroavante foi titular em 16 ocasiões, enquanto o camisa 7 começou todas seus jogos no time principal.

"O plantel é de qualidade e cabe ao técnico ressaltar essa importância e mostrar que todos terão oportunidades e terão que estar preparados. Tenho que dar essa tranquilidade para eles entenderem que de vez em quando eles podem jogar mal, isso faz parte do futebol. Só não pode ficar aquele negócio de trocar três a cada jogo, isso sabemos que não funciona aqui no Brasil", completou o treinador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos